O sono é tão importante para o corpo como beber água ou comer, bem como para manter a nossa saúde. Cientistas dos EUA descobriram que o sono ajuda o cérebro a processar as experiências emocionais e aliviar as memórias traumáticas.

O sinal químico que produz o estresse é desligado durante o sono. É o que descobriram os pesquisadores da Universidade da Califórnia-Berkeley.

Esse “desligamento” ocorre durante a fase do sono, conhecida como REM (Rapid Eye Movement), em português, movimentos oculares rápidos. Essa fase ocorre quando sonhamos.

Em sua experiência, os pesquisadores mostraram a um grupo de voluntários várias imagens perturbadoras durante duas sessões. Quem conseguia dormir entre uma sessão e outra conseguiu melhor processar a reação emocional das imagens geradas na segunda vez.

Os resultados, dizem os cientistas, mostram que há uma ligação entre o sono e a memória.

Emoções e Raciocínio

Enquanto eles eram submetidos a dormir, “scanners” eram usados para medir o fluxo sanguíneo no cérebro, para ver quais regiões do cérebro eram mais ativas.

Aqueles que não dormiram mostraram um resultado muito mais emocional, diz o estudo, publicado na revista Current Biology, mostrou que, vendo as imagens pela segunda vez, aqueles que dormiram corretamente mostraram menos atividade na amígdala, uma região do cérebro associada às emoções, e mais atividade no córtex pré-frontal, região associada ao pensamento racional.

Os que não dormiram mostraram uma reação muito mais emocional ao rever as imagens. Os pesquisadores acreditam que as mudanças químicas que ocorrem no cérebro durante o sono REM explicam como o corpo consegue processar melhor o estresse.