Embora o leite de vaca continue sendo um dos mais consumidos em todo o mundo, e há muitas pessoas que, por uma razão ou outra (alergias, intolerância à lactose, indigestão, entre outros), tem optado pelo consumo de leites vegetais, como o de aveia, de soja, de arroz, de amêndoas, entre outros.

Estes leites são mais leves, mais fáceis de digerir e, quanto à forma de consumo, estes podem ser tomados da mesma maneira que o de vaca: com cereais, alimentos cozidos, em sopas e até em molhos.

No entanto, há uma crença equivocada de que ao substituir o leite de vaca por essas bebidas, é possível sofrer de deficiências nutricionais, especialmente de cálcio.

Neste sentido, pode-se notar que a ingestão de dois copos de leite de amêndoas fornece aproximadamente 35% do cálcio que se recomenda tomar diariamente. Além disso, você sempre pode complementar com outros alimentos ricos em cálcio.

Leia também: “Leites Vegetais: Alternativas Saudáveis Para o Leite de Vaca“.

Benefícios e Tipos de Leites Vegetais:

Existem dois tipos de leites vegetais aqueles que provêm dos cereais como arroz, aveia, quinoa, amaranto, trigo sarraceno, cevada, bulgur, aqueles derivados dos frutos secos, como amêndoas, avelãs, gergelim, nozes, pistaches, pinhões, sementes de girassol, sementes de abóbora e castanha do Brasil.

Os primeiros têm um elevado teor de fibras, vitaminas e minerais, e não contêm colesterol nem lactose. Um bom exemplo é o leite de aveia que contém vitamina E, ácido fólico, oligoelementos e minerais, os quais ajudam a prevenir e combater o câncer e as doenças cardíacas.

Por outro lado, os leites que provêm dos frutos secos são muito nutritivos e completos. Eles são uma fonte de ácidos graxos de qualidade e cálcio.

Leite de arroz. Não tem lactose nem colesterol, tem muito pouco cálcio e riboflavina e nada de vitamina D. O conteúdo de gordura e de sódio varia de acordo com marca do produto. É adocicado, mas bastante aguado.

Possui propriedades depurativas e hipotensoras e pode ser facilmente preparado a partir da fermentação dos grãos de arroz, moídos e cozidos. Por não conter glúten, os celíacos podem tomar sem problema.

Leite de amendoim. Este tipo de leite é muito nutritivo e, ao mesmo tempo saboroso. Contém vitamina E e proteínas. Melhora a hipertensão, diarreia moderada e resulta muito conveniente para dietas livres de colesterol e ácido úrico. Também, é uma boa alternativa para os vegetarianos e pessoas com intolerância à lactose.

Convém tomá-lo frio, mas não gelado, e se for acompanhado de fruta ou hortaliças, como uva, laranja, tomate, cenoura, o seu valor vitamínico aumenta. Por isso, é recomendado o seu consumo no café da manhã ou com pão de trigo integral para o almoço ou jantar.

Leite de soja. Este leite vegetal administra proteínas e vitaminas do complexo B, reduz triglicérides e colesterol. O consumo é aconselhável no caso da osteoporose, já que contém estrogênios naturais e possui uma ação protetora contra o câncer de mama.

Pode ser preparado em casa fervendo os grãos misturados com água e com uma pitada de sal durante 45 minutos. É preferível prepará-lo isoladamente, sem mistura de óleos ou edulcorantes que o tornam muito mais pesado.

Com este leite é possível elaborar deliciosos iogurtes fermentados, mais recomendados para estômagos sensíveis, assim como molhos, batidos, pudins e até mesmo tofu caseiro.

Não convém consumir o leite de soja em excesso, já que ao proceder de um fruto seco, é bastante energético (meia xícara contém 62 calorias).

Leite de aveia. Este leite vegetal é um dos mais completos, já que contém hidratos de carbono, vitamina B1, B2, E, D, niacina, carotenos e enxofre, cálcio, fósforo, potássio, sódio, ferro, magnésio, cobre e zinco.

Por sua riqueza em fósforo é um alimento muito adequado para favorecer a atividade cerebral e por seu teor de enxofre é benéfico para a pele e como remédio para unhas quebradiças.

Leite de avelã. É muito benéfico para a saúde, já que é rico em L-arginina, ácido oleico, ácido fólico e cálcio e pobre em sódio. Tudo isso ajuda a prevenir lesões nas artérias e evitar a formação de coágulos sanguíneos. Também, reduz os níveis de colesterol LDL (ruim) e triglicérides.

No entanto, é importante notar que, ao proceder de um fruto seco, este tipo de leite vegetal fornece mais calorias do que os outros.

Leite de amêndoas. Para obter este leite apenas é necessário moer as amêndoas secas e descascadas e, em seguida, misturá-las com água.

Este leite contém minerais como potássio, fósforo e cálcio. Por isso, resulta muito útil para prevenir a osteoporose e também ajuda a controlar o colesterol. Devido ao fato de que não contém glúten, é adequado para os celíacos.

Kefir. Realmente é leite de vaca, mas contém as bactérias acidófilas que metaboliza a lactose. Ao adicionar ao leite, não muda o valor nutricional nem o sabor. É uma boa alternativa.

A Forma Mais Básica de Preparar Leites Vegetais:

A forma mais básica de preparar leite vegetal consiste em colocar de molho na água as sementes (a soja é muito usada), frutos secos ou cereais escolhidos durante um tempo suficiente (geralmente entre 10 e 24 horas) para amolecer. Após esse tempo, são trituradas em um liquidificador.

A mistura resultante é filtrada através de um coador muito fino, deixa-se repousar, esfriar, e por último, é tomada diretamente.

Outras Receitas Para Preparar Diferentes Tipos de Leite Vegetal:

Leite de Coco

  • 1 ½ litro de água
  • 250 gramas de polpa de coco
  • 30 gramas de açúcar de baunilha

O primeiro passo consiste em ralar a polpa do coco. Você pode usar um ralador, embora seja mais fácil se você colocar a polpa em um processador de alimentos. Uma vez que a polpa esteja bem triturada, adiciona-se água, e colocaremos para ferver.

Em seguida, ferva durante 15 minutos. Em seguida, apague o fogo e deixe repousar 20 minutos mais.

Em seguida, coe a mistura despejada e passe novamente pelo processador de alimentos os pedaços de coco que não foi possível coar.

Em seguida, adicione-os à mistura e passado novamente pelo processador de alimentos. Repita o processo anterior e conserve na geladeira.

Leia também: “Intolerância à Lactose – O Que é Lactose e Porque Ocorre a Intolerância”.

Leite de Caju

  • 2 tigelas de água fervendo, divididas
  • 175 ml caju bem picado
  • 1 colher de sopa de alga seca, esmagadas
  • 1 colher de sopa de passas picadas
  • 1 colher de sopa de vagem baunilha picada

Preparação: Coloque no liquidificador 1 copo (250 ml) de água fervendo, os cajus, a alga, as passas e a vagem de baunilha. Ajuste bem a tampa e processe (se misturador é de velocidade variável, comece devagar e vá aumentando) até que esteja bem batido.

Sem parar o misturador, adicione o resto da água fervendo através da abertura do centro da tampa. Processo até que esteja bem batido. Deixe esfriar. Tampe. Conserve por até 3 dias no refrigerador.

Leite de Tâmaras

  • 175 ml de água fervendo
  • tigela de tâmaras sem caroço picadas
  • 2 colheres de chá de baunilha picada

Preparação: Coloque no liquidificador a água fervendo, as tâmaras e a vagem de baunilha. Ajuste bem a tampa e processe (se o misturador é de velocidade variável, comece devagar vá aumentando) até que esteja bem batido. Deixe esfriar. Tampe. Conserve no refrigerador por até uma semana.

Sugestão: O açúcar das tâmaras é usado com frequência como adoçante em produtos comerciais. O leite de tâmaras tem as mesmas propriedades que o açúcar (embora forneça um pouco de fibras e nutrientes); por isso, você deverá usá-lo com moderação.