Como sabemos existem alimentos que beneficiam a nossa saúde e outros que a prejudicam, a partir dai, devemos levar em conta quais os alimentos que desejamos que façam parte da nossa dieta diária, dependendo do estado em que se encontra a nossa saúde, e se sofremos de alguma doença ou patologia.

No caso das arritmias, quando os impulsos elétricos seguem vias ou trajetos anormais, considera-se que o coração tem um ritmo anormal (arritmia), independente dos prognósticos e dos tratamentos prescritos pelo médico.

Existem alimentos que nos ajudam a melhorá-las. É extremamente importante evitar o café, algumas pessoas sentem o efeito da alteração com apenas um copo. Outras bebidas para as quais devemos aprender a dizer não são o chá preto, bebidas alcoólicas e do tipo energéticas. E o excesso de alimentos refinados, sal, açúcar e gorduras saturadas devem ser controlados, já que sempre prejudicam o sistema cardiovascular, como um todo.

O magnésio é um dos minerais mais benéficos nestes casos. É possível tomar em forma de cloreto de magnésio (laxante suave) ou encontrar outras maneiras (carbonato, gluconato, etc.).

Leia também: “Alimentos Ricos em Magnésio“.

Como fontes alimentícias ricas em magnésio se destacam as castanhas, os cereais e as leguminosas. O alho é de grande ajuda em casos de arritmias causadas por hipertensão, diabetes, etc. Outros suplementos que podem ajudar são o CoQ10 (uma coenzima), o cálcio e o grupo de vitamina B (especialmente a B6). Os ácidos graxos poli-insaturados ômega-3 estão sendo utilizados, já que parecem ajudar nos problemas cardiovasculares, como o colesterol assim como em algumas arritmias.

Devem ser levados em conta os peixes azuis ou gordos, assim como as sementes de linhaça ou linho, as algas, a quinoa, as nozes, os brotos de soja, a beldroega, etc.