O que é ataque cardíaco?

O ataque cardíaco é comparável ao infarto do miocárdio.

Causas:

Quando o oxigênio atinge o coração e é insuficiente para atender as necessidades dele, as células musculares do coração sofrem (angina) e podem até morrer (infarto).

A causa mais comum é o estreitamento das artérias que alimentam o coração, as artérias coronárias por aterosclerose.

Sintomas:

Os sintomas mais característicos são:

Dor ou pressão no peito que irradia ou se espalha para o braço ou mandíbula.

O sujeito tem uma sudorese profusa e náuseas ou vômitos.

Se o ataque foi sério pode perder a consciência, até mesmo parar a respiração e pulsação.

O que fazer quando isso acontece?

Acima de tudo manter a calma e ver se o paciente permanece consciente, em caso afirmativo, chame imediatamente uma ambulância e preste atenção até que a ajuda chegue.

Certifique-se de respirar confortavelmente (soltar o laço e botão de cima da camisa) para conter o pulso firme, antes de pedir ajuda.

Se o paciente perder a consciência e ocorrer parada respiratória deve começar rapidamente a CPR. Para fazer isso, deite o paciente sobre uma superfície dura, como o solo. Afrouxe as roupas e estenda a cabeça para trás, puxando a língua para fora para abrir a garganta. Verifique a respiração, observando se o peito move e colocando seu ouvido próximo a boca para ouvir e sentir o ar. Se não estiver respirando, coloque uma mão sob o pescoço e outro na testa cobrindo o nariz com os dedos. Agora puxe o ar em sua boca quatro vezes.

Verifique o seu coração se está sentindo o pulso no pescoço, junto à traqueia. Continue a respiração dando um fôlego a cada cinco segundos. Se o coração não estiver batendo será preciso também uma massagem cardíaca: localize a ponta do esterno, coloque ai a palma da sua mão e coloque outro no topo desta, agora empurrado em um golpe seco para baixo, relaxe e repita um curso por segundo, tentando conseguir um ritmo constante, a cada cinco compressões respire ar no fundo da boca.

Fatores de risco:

Histórico familiar ou pessoal de artrite reumatoide ou outras doenças auto-imunes.
Fumo.
Álcool.
Gordura na dieta.
Sedentarismo.
Sobrepeso.
Estresse.
Preocupações.
Hipertensão (Hipercolesterolemia, diabetes mellitus).

Prevenção:

Remova os fatores acima. Organizando sua vida, tendo uma dieta variada e equilibrada, fazendo exercício físico suavemente, mas diariamente, evitando tensões e preocupações. Tratamento de diabetes, hipertensão e hipercolesterolemia.

Diagnóstico e tratamento:

Um eletrocardiograma para confirmar o diagnóstico. O tratamento é baseado na prevenção e, quando apropriado uma medicação anti-hipertensiva ou anti-colesterinemia.

Possíveis complicações:

A progressão do trombo pode viajar para o cérebro causando distúrbios motores, paralisia ou morte.

Prognóstico:

Impedindo um segundo ataque cardíaco, corrigindo os fatores de risco, com medicação antitrombótica e terapia de reposição gênica, são hoje possíveis previsões cada vez melhores.