O que é câncer uterino?

Este câncer é o primeiro na frequência de tumores ginecológicos em mulheres e quarto em frequência em mulheres.
Aparece com maior incidência em mulheres com 60 anos ou 70 anos.
As mulheres que mais sofrem são as dos países desenvolvidos e 80% delas já estão na menopausa.
Menos de 5% dos casos de câncer de útero ocorrem em mulheres com menos de 40 anos de idade.

Fatores de risco

Hormônios:

A exposição do corpo feminino por um longo tempo aos hormônios femininos como o estrogênio. O risco é de 4 ou 8 vezes na população de mulheres não expostas.
Síndrome de Stein-Leventhal.
Infertilidade e nuliparidade. A estimulação contínua dos hormônios no útero, quando ele falha para acomodar uma criança tem sido considerada como um fator de risco.
Distúrbios menstruais e ciclos menstruais anovulatórios: que é quando as mulheres não ovulam ou menstruam, ou que o ciclo menstrual da mulher é alterado tanto em atraso ou avanço e a quantidade de sangramento.

Obesidade, o diabetes, a hipertensão e a exposição à radiação: têm sido associados com a geração de câncer cervical.

Outros cânceres, na família: a história familiar de aparecimento de outros tipos de câncer, como ter história familiar de câncer de mama, cólon ou do reto. Tiveram um tipo de tumor de ovário, que se origina a partir da camada granulosa.

As mulheres que têm a doença hepática avançada mantém os níveis de estrogênio no sangue superiores ao normal, sendo este um fator de risco para o câncer cervical.

Prevenção

O câncer é curável, se detectado precocemente, felizmente, os mais comuns são mais facilmente detectados por testes simples.

O controle do câncer do colo do útero é realizado por meio de Papanicolau, em média, a cada 6 meses ou um ano, conforme indicado pelo seu médico.

Deve realizar este exame, após o início da atividade sexual.

O diagnóstico precoce do câncer uterino:
1 .Exame pélvico.
Cada 3 anos entre 20-40 anos.
Por ano mais de 40 anos.

2 .Citologia na menopausa grupos de alto risco.

3 .Alto risco:
Infertilidade.
Obesidade.
Desordens ovulatórias.
A terapia estrogênica.
Metrorragia.

Outros factores de prevenção são:
Gravidezes levadas a termo.
Quando o início da menstruação (menarca) ocorre mais de 15 anos.
O uso de contraceptivos orais.

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

A combinação de quimioterapia e radioterapia podem reduzir o risco de morte pela metade.

A cirurgia é um tratamento de rotina para os primeiros estágios do câncer do colo do útero. Radioterapia é usada quando a doença se espalhou.

As drogas tornam o tumor mais vulnerável e tem menos força para se recuperar de danos.

Cisplatina, uma droga usada na quimioterapia, funciona melhor em combinação com a terapia de raios.

Os efeitos colaterais da terapia de combinação incluem náuseas, vômitos e anemia em maior grau do que aquele experimentado por mulheres que se submetem somente a terapia de raios.