A cleptomania é um problema muito mais comum do que se pensa e pode causar sérios problemas para as pessoas que sofrem esse tipo de vício.

É um transtorno de controle do impulso caracterizado por roubo compulsivo de objetos. O termo vem do verbo grego “cleptomaníaco“, cujo significado é roubar. A pessoa que sofre tem muitas dificuldades para evitar a tendência de roubar qualquer coisa. O cleptomaníaco é sempre consciente da desvantagem de suas ações, mas isso não pode ajudá-lo.

O ladrão compulsivo, que também é o nome do sujeito com o transtorno, não rouba por diversão ou por necessidade, mas para satisfazer um impulso que o leva a fazê-lo. Em muitos casos, é definido como um vício psicológico, porque a necessidade de roubar é precedida por um estado de ansiedade crescente apenas aliviado depois de possuir o objeto desejado. A necessidade neurótica de se satisfazer produz um reforço negativo, que é o que a mantém o comportamento posteriormente. Por esta razão, o cleptomaníaco fica repetindo seus furtos sempre que tem esse sentimento de necessidade de satisfazer o impulso de roubar um objeto.

Ele não rouba por necessidade e os objetos de seu roubo não valorizam o seu poder econômico. Na verdade, o cleptomaníaco acumula os itens roubados e por vezes até mesmo os devolve posteriormente. Ele está na busca de satisfazer uma necessidade e do sentimento de “alta” que o comportamento fornece. Na verdade, não raramente os que sofrem, podem até não ter nenhum problema para comprá-los, mas simplesmente comprando não obtém qualquer sentimento positivo.

Cleptomania tem semelhanças com outros vícios e humores. Além disso, este impulso de roubar lhe permite atenuar a ansiedade que muitas vezes é muito frequente e intensa, por isso torna-se muito difícil resistir à tentação sem ajuda profissional.

Momentos antes do roubo, a pessoa experimenta um estado de grande estresse e ansiedade, que é eliminada pela subtração do objeto estranho, o que leva temporariamente a uma sensação de relaxamento, conforto, prazer e alívio. No entanto, depois de um tempo o sentimento que a pessoa tem é de dor e culpa por sua atitude, porque, como disse, em todos os momentos ela sabe que o seu desempenho não é positivo.

A cleptomania tem consequências importantes e muito negativas para a pessoa que sofre, e todos ao seu redor deixam de confiar nela, fazendo com que ela carregueuma grande rejeição social. Ela também tem importantes consequências jurídicas, pois seus furtos não deixam de seratos criminosos que acarretam multas. Além disso, por ser um tipo de roubo que responde a impulsos normalmente não planejados,faz com que eles sejam mais facilmente capturados em flagrante.

Se você suspeitar que alguém próximo sofre com a cleptomania, a melhor maneira de ajudar é informar que existem médicos que podem oferecer um tratamento adequado para ajudar a controlar esse distúrbio. Dependendo das causas que levaram à doença, o tratamento consistirá em terapias e medicamentos para ajudar a controlar a ansiedade que conduz o sujeito a roubar.