O que é desidratação?

É a perda de água e eletrólitos (sais essenciais do organismo) do corpo. A água constitui aproximadamente 55% do peso de uma pessoa e perda de água das células provoca desidratação.

Causas:

Diarreia ou vômito de qualquer causa, sem a reposição de líquidos.
Febre alta persistente.
Sudorese profusa.
A exposição excessiva à luz solar ou ao calor.
Uso de medicamentos que dão depleção de fluídos e eletrólitos, como diuréticos.

Sintomas:

  • Língua e boca seca.
  • Redução ou ausência de micção.
  • Pele rugosa: perda da pele lisa é enrugada quando comprimida.
  • Olheiras.
  • Baixa pressão arterial.
  • Sede intensa.
  • Aumento do batimento cardíaco e respiração.
  • Tontura, confusão, coma.

Fatores de risco:

Lactentes e crianças com diarreia ou vômito.
Adultos com mais de 60 anos, com demência ou deficiência.
Pacientes com febre alta, que tiveram recentemente uma doença.
Diabéticos.
Pacientes com doença renal crônica.

Prevenção:

Obter um tratamento médico para a causa da desidratação.
Se vomitar ou tiver diarreia, beba pequenas quantidades de líquido e suplementos de eletrólitos.
Se você estiver tomando diuréticos, pese-se diariamente. Informe o seu médico se há perda de peso de mais de 1 quilo por dia, ou 2 quilos por semana.

Diagnóstico e tratamento:

Diagnóstico: o diagnóstico é baseado no exame, que revela os sinais já mencionados.

Exames de sangue devem ser conduzidos, incluindo quantidades de sangue e eletrólitos (sais minerais que se dissolvem no sangue e outros fluídos corporais), para avaliar a profundidade das desordens e da possibilidade de uma doença subjacente.

Medidas Gerais: Necessitam de hospitalização em casos da necessidade de fluídos intravenosos (apenas em caso de doença prolongada ou grave).

Pesar-se diariamente em casa, para assegurar que está funcionando corretamente e registrar o peso para a percepção de perda de líquido possível.

Se ocorre vômito ou diarreia, registrar o número de vezes para estimar a perda de líquido.

Em caso de desidratação menor, tomar frequentemente pequenas quantidades de fluídos naturais. Os líquidos em grandes quantidades podem causar vômitos.

Medicação: Medicamentos para tratar as causas subjacentes. Pode ser necessário fornecer fluídos intravenosos para substituir a perda de água.

Possíveis complicações:

Diminuição da pressão arterial, choque e morte após a desidratação grave e prolongada.

Prognóstico:

Curável com o controle das causas subjacentes e recuperação de fluídos.