O que é dislexia?

É comum as pessoas acharem engraçado ouvir uma criança confusa ou mudar os sons para pronunciar as palavras, no entanto, isto pode ser um grave problema de linguagem, que também pode causar graves perturbações emocionais.

Basicamente, é a manifestação de uma desordem no processo de leitura e escrita, ou seja, a criança tem problemas na sua forma de leitura, escrita e às vezes também com a aritmética.

Causas:

Existem essencialmente dois tipos de causas: problemas no desenvolvimento neuro-genéticos e/ou um sistema central nervoso imaturo. O cérebro de uma criança com dislexia tem uma disfunção na transferência de informações para diferentes regiões do cérebro, que especificamente são envolvidos no processo de escrita e leitura, por isso não acontece corretamente.

Sintomas:

 

  • Escrita espelho (que é quando uma criança inverte letras).

 

 

  • Confusão ao escrever.

 

 

  • Confusão com os sons de algumas letras.

 

 

  • Imperícia e disgrafia (dificuldade de escrever).

 

 

  • Dislexia verbal, com distúrbios do ritmo.

 

 

  • Dislalias (dificuldade em articular palavras).

 

 

  • Pobreza de linguagem.

 

 

  • Baixa fluência verbal.

 

 

  • Baixa compreensão das regras de sintaxe.

 

 

  • Dificuldade de soletração.

 

 

  • Dificuldade em executar uma composição.

 

 

  • Dificuldade em realizar a aritmética.

Diagnóstico e tratamento:

Diagnóstico: Em muitos casos, alegar que uma criança tem dislexia, pode ser um exagero, pois a criança pode ter outros problemas que afetam negativamente o seu desenvolvimento no processo de alfabetização.

No entanto, é muito importante notar quando a criança começa a ler e escrever e, principalmente, excluir: defeitos da visão, deficientes auditivos, um QI abaixo do normal, a existência de um distúrbio emocional, problemas de saúde graves que afetam a aprendizagem, lesão cerebral, também é importante esperar até que a criança tenha maturidade suficiente, além de formação e competências necessárias para o bom desenvolvimento do processo de leitura e escrita.

Em muitas ocasiões, durante este período pode surgir alguma confusão na criança, que não tem nada a ver com dislexia. Mas depois de seis ou sete anos, o pequeno deve ter consolidadas as habilidades necessárias para leitura e escrita adequadas.

Tratamento: É muito importante consultar um especialista e realizar o programa de reabilitação para a criança compensar sua falta de alfabetização. Embora nestes casos não seja uma condição que é considerada grave, se a doença não for detectada e tratada precocemente, o problema pode aumentar e complicar rapidamente.

Um menor com grande esforço, tentando aprender a ler e escrever corretamente, e não conseguindo, pode ficar frustrado e, gradualmente, desenvolver problemas de auto-estima. Em condições como essa, o papel dos pais é muito importante porque as crianças não sabem que têm alguma deficiência, apenas percebem as letras e seus sons de diferentes maneiras, o que cria uma grande confusão.

Prognóstico:

Em muitos casos, a criança que sofre de dislexia recebe tratamento inadequado, porque os pais não levam em consideração as necessidades do seu filho, limitado a apenas chamá-lo de burro ou desajeitado e isso vai causar problemas emocionais. Por isso, é importante observar o seu comportamento e detectar se a criança sofre de:

  • Desatenção (distração).

 

  • Alto grau de fadiga (cansaço muito rápido).

 

 

  • Desinteresse no estudo.

 

 

  • Desajuste pessoal.

 

 

  • Transtornos emocionais.

 

 

  • Insegurança.

 

 

  • Teimosia.