A gonorréia é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada pela Neisseria gonorrhoeae, uma bactéria que pode crescer e se multiplicar facilmente em áreas quentes e úmidas do trato reprodutivo, incluindo o colo do útero (a abertura para o útero e as trompas de Falópio (canais de ovo) nas mulheres, e na uretra (canal da urina) em homens e mulheres). A bactéria também pode crescer na boca, garganta, olhos e ânus.

A gonorreia é uma doença infecciosa muito comum. O CDC estima que mais de 700.000 pessoas nos Estados Unidos obtêm novas infecções gonorreicas a cada ano. Menos da metade dessas infecções são relatadas ao CDC. No ano de 2009, 301.174 casos de gonorreia foram relatados ao CDC.

A gonorreia é transmitida através do contato com o pênis, vagina, boca ou ânus. Não é necessário ter uma ejaculação para transmitir ou contrair gonorreia. A gonorreia pode ser transmitida de mãe para filho durante o parto.

Pessoas que tiveram gonorreia e receberam tratamento podem se infectar novamente se tiverem contato sexual com uma pessoa que tem a doença.

Embora seja provável que muitos homens com gonorreia não apresentem sintomas, alguns sinais ou sintomas aparecem entre 1 e 14 dias após a infecção. Sinais e sintomas incluem uma sensação de queimação ao urinar e um corrimento esbranquiçado no pênis, amarelado ou esverdeado. Às vezes homens com gonorreia apresentam testículos doloridos ou inchados.

A maioria das mulheres com gonorreia não apresentam sintomas e se acontecem, são leves. Mesmo quando apresentam sintomas, eles podem ser tão comuns que elas confundem com os sintomas de uma infecção da bexiga ou infecção vaginal. Os primeiros sinais e sintomas nas mulheres incluem uma sensação dolorosa ou ardor ao urinar, aumento do corrimento vaginal e sangramento vaginal entre os períodos. Mulheres com gonorreia correm o risco de complicações graves de infecção, independentemente da presença ou severidade dos sintomas.

Quando a gonorreia não é tratada pode causar problemas de saúde graves e permanentes em ambos, homens e mulheres.

Nas mulheres, a gonorreia é uma causa comum de doença inflamatória pélvica (DIP). Anualmente, cerca de 750.000 mulheres nos Estados Unidos desenvolvem o DIP. Os sintomas podem ser muito leves ou muito graves e podem incluir dores abdominais e febre. DIP pode levar a abscessos internos (pústulas com pus difícil de curar) e de longo prazo a dor pélvica crônica. A DIP pode causar danos nas trompas de Falópio e causar infertilidade ou aumentar o risco de gravidez ectópica. A gravidez ectópica é uma condição potencialmente fatal em que o óvulo fertilizado se desenvolve fora do útero, geralmente em uma trompa de Falópio.

Nos homens, a gonorreia pode causar epididimite, uma condição dolorosa dos dutos dos testículos que, se não tratada pode causar infertilidade.

Gonorreia pode se espalhar para o sangue e articulações. Esta condição pode ser fatal. Além disso, pessoas com gonorreia podem mais facilmente adquirir HIV, o vírus causador da Aids. As pessoas infectadas com a gonorreia podem transmitir o HIV com mais facilidade do que pessoas que não têm gonorreia.

O caminho mais seguro para evitar a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis é prevenir-se de contato sexual de auto risco ou ter um relacionamento estável e monogâmico com um parceiro conhecido e que não esteja infectado.

Os preservativos de látex, quando usados consistentemente e corretamente, podem reduzir o risco de transmissão da gonorreia.

Qualquer sintoma como corrimento genital ou queimação ao urinar ou uma erupção incomum, ferida, deve ser uma razão para parar de ter relações sexuais e consultar imediatamente um médico. Uma pessoa que tenha sido diagnosticada e tratada com gonorreia deve informar a todos os seus parceiros sexuais recentes para que eles consultem um médico. Isso irá reduzir o risco de parceiros sexuais desenvolverem graves complicações da gonorreia e também diminuir o risco de recaída em uma pessoa. A pessoa com gonorreia e todos os parceiros sexuais devem evitar relações sexuais até que tenham completado seu tratamento da doença.