Existem pessoas que se sentem parte de um reality show sobre sua vida, como aconteceu com o personagem interpretado por Jim Carrey no filme “O Show de Truman”. Os indivíduos que sofrem desta condição sentem que seus movimentos estão sendo seguidos em todos os momentos por câmeras e microfones escondidos e até mesmo suas vidas estão servindo como entretenimento para os outros. Os psiquiatras Joel e Ian Gold identificaram a síndrome em vários pacientes e a denominaram, referindo-se a esse filme, como a síndrome de O Show de Truman.

Na sociedade globalizada de hoje em que vivemos, a ascensão de telefones com câmera e seu uso, bem como serviços como o YouTube permitem qualquer um postar todos os tipos de vídeos na Internet, essa tecnologia em geral levanta questões sérias de privacidade. Por isso, o número cada vez maior dos casos identificados que sofrem desta nova síndrome.

Tal como aconteceu no filme de Jim Carrey, em que o paciente experimenta a sensação de estar sendo vigiado e perseguido, começa a sentir os sintomas de uma síndrome de perseguição. Na verdade, todos os pacientes referiram o filme para tentar descrever como se sentem.

Apesar do que foi dito, essas pessoas não fazem isso porque estão querendo ser famosas, ou porque são narcisistas, mas sim porque se sentem observadas e perseguidas. Tentam resistir e escapar de alguma maneira deste suposto “reality” de que acreditam fazer parte involuntariamente. São pessoas que podem ser predispostas por algum motivo psicossocial ou em sua composição de DNA, para certos estímulos que podem desencadear o aparecimento dessa síndrome.

Esta nova doença psiquiátrica pode levar a sérios problemas para os pacientes, uma vez que seu comportamento pode ser irracional e alcançar atos ilógicos. Pessoas com essa síndrome podem ter graves distúrbios psíquicos, como esquizofrenia, transtorno bipolar, sofrem estados de agitação e estresse contínuo. Isto pode conduzir a doenças psicóticas que precisam ser tratadas.

É fundamental identificar esta síndrome desconhecida e iniciar o tratamento, que incluí medicamentos e sessões de terapia. Também é importante eliminar fatores que podem ser causadores da doença. No entanto, o tratamento muitas vezes não é fácil, já que a maioria das pessoas negam estar doentes. Na verdade, algumas pessoas podem pensar que o médico ou o psiquiatra é um ator representando um papel, e que faz parte dessa realidade inexistente.

Esta síndrome tem muito a ver com tecnologia moderna. O paciente vê essa tecnologia como uma ameaça contra ele. É o que os assusta. Na maioria das pessoas isso não acarreta qualquer transtorno mental, mas em uma pessoa predisposta a psicose pode ser um problema grave que leva a esta síndrome. Por isso, que é muito difícil explicar e fazer a pessoa compreender que não está em um “reality”, e sim que está tudo em sua mente.

Em definitivo, é uma síndrome ainda desconhecida, mas fatores já foram discutidos, assim como a maior presença da tecnologia em nossas vidas e também dos “reality shows” na televisão, que estão provocando cada vez mais casos no mundo.