Sintomas da Tromboflebite

  • Inchaço e dor na área afetada.
  • Vermelhidão (nódoas negras) e calor.

O Que é Tromboflebite

Quando um coágulo ou trombo se aloja em uma veia, o processo é diferente da trombose arterial, e se denomina tromboflebite (do grego flebos = veia).

A tromboflebite ocorre geralmente nas extremidades, especialmente nas pernas, e pode afetar as veias profundas ou veias superficiais. É mais frequente se você esteve na cama por muito tempo (como ocorre naqueles que realizaram uma cirurgia, paralíticos, etc.), ou se estiver tomado hormônios femininos ou estrogênio (anticoncepcionais, etc.). Além disso, se você permanecer sentado e imóvel de maneira muito prolongada (durante longas viagens de carro ou avião, por exemplo), pode ocorrer trombose venosa mais facilmente.

Diagnóstico Para Tromboflebite

Tromboflebite superficial. O trombo e a inflamação circundante costumam ser visíveis sobre a pele.

Trombose venosa profunda. Geralmente ocorre nas pernas, e para chegar ao diagnóstico podemos recorrer a um estudo com ultrassons chamado pletismografia, ou a injeção de substâncias radiológicas ou isotópicas nas veias das pernas (flebografia).

Prognóstico e Tratamento Para Tromboflebite

A tromboflebite superficial é de muito bom prognóstico. Apenas requer tratamento com a elevação do membro e anti-inflamatório.

A tromboflebite profunda tem um perigo associado, a embolia pulmonar ou tromboembolismo pulmonar, um evento muito grave que precisa ser tratado desde o primeiro momento com medicamentos anticoagulantes, geralmente heparina primeiro e depois, quando já passou a fase aguda, um anticoagulante oral do tipo Sintrom® para evitar que volte a se repetir.

A cirurgia é utilizada nos casos de trombose venosa profunda repetida. A veia cava, que é a veia principal do abdômen, pela qual drenam as pernas seu sangue até o coração direito, pode ser parcialmente “ligada” (amarrada, de acordo com o termo utilizado pelos cirurgiões vasculares), de forma que os trombos das pernas não cheguem ao coração direito nem, portanto, a circulação pulmonar. Para o mesmo efeito, por vezes, é inserido um filtro ou “guarda-chuva” na veia cava inferior mediante cateterização venosa, ou seja, sem cirurgia.

Para mais informações sobre a formação de coágulos, recomendamos a leitura do artigo: “Por Que se Formam os Coágulos de Sangue?