Quem tenta perder peso, quem encara essa luta diariamente, sabe que não é algo fácil. Mas todos os esforços valem a pena a partir do momento em que subimos na balança e vimos aqueles quilinhos a menos no mostrador. Que alívio!

Se as dietas fossem sempre assim, seria tudo muito bom, mas não são. Quantas vezes nós não conseguimos perder peso, mesmo fazendo a dieta à risca, fazendo exercícios, e tudo mais? Infelizmente, para emagrecer, muitas vezes “só fechar a boca” e fazer atividades aeróbicas não é o suficiente. Temos também que estar calmos a tranquilos. Mas como assim?

Pesquisas atuais demonstraram que o estresse impacta em muito na perda de peso, ou na dificuldade de perdê-lo. E isso não se trata só de “comer por ansiedade”, de compensar o nervoso; é uma questão hormonal e fisiológica, que foge ao nosso controle.

Leia também: “Como Nos Afeta o Estresse e a Ansiedade“.

Sob estresse, nosso organismo fica em constante alerta, pronto para fuga ou luta, reflexo do que é mais primitivo em nós. Essa resposta biológica libera cortisol, um hormônio que ativa a liberação de glicose e insulina. Sabemos que a insulina participa da homeostase do açúcar no sangue e nos tecidos, já que esse hormônio é responsável por dizer ao nosso organismo para estocar a glicose nos tecidos adiposos. Ou seja, a glicose vira gordura, banha, um “pneuzinho” extra. Assim, quanto mais estresse, mais cortisol, mais insulina, mais gordura e mais pneuzinhos.

E esse é só um dos males do estresse, ele causa diversos outros problemas de saúde. Então é importante praticar um estilo de vida mais calmo e tranquilo: faça regularmente atividades que lhe dão prazer ou que acalmem, como meditação, Yoga, relaxamento ou alongamento. Não tem tempo? Faça exercícios respiratórios, inspirando e expirando com calma, e tente focar nas coisas boas que o dia traz.

Assim que puder, visite um médico, faça um exame de sangue para checar seu nível de cortisol e procure ajuda de um psicólogo. Comece já, marcando online suas consultas pelo HelpSaúde!