O ZMA (que é a abreviatura de zinco monomethionina aspartato e magnésio aspartato) é um suplemento alimentar utilizado por atletas e fisiculturistas, e trata-se de uma combinação de zinco, magnésio e vitamina B6.

O suplemento ZMA é empregado nos esportes como suplemento que aumenta os níveis de testosterona e IGF-1, o que pode ajudar a hipertrofia muscular e, por conseguinte o aumento da força.

Características:

O zinco é um mineral encontrado em mais de 300 enzimas, muitas delas envolvidas nos processos metabólicos e particularmente na replicação celular. Enzimas como anidrase carbônica e o lactato desidrogenase geralmente participam no metabolismo do exercício, enquanto que o superóxido dismutase é um potente antioxidante que protege contra os danos causados por radicais livres. Existem estudos que mostram deficiências de zinco em certos atletas e esta produz uma diminuição na atividade imune. Por outro lado, é um micronutriente presente como cofator em cerca de 300 reações metabólicas, algumas das mais importantes dizem respeito à glicólise, assim como o metabolismo de gorduras e proteínas. O magnésio também atua no sistema nervoso. Existem evidências científicas entre os níveis de magnésio e de cortisol (reduz o catabolismo).

A proporção de ingredientes utilizados habitualmente no ZMA está entre 20-30 mg de zinco e 400-500 mg de magnésio com 10 mg de vitamina B6. De acordo com a denominação e descrição dos rótulos dos produtos comercializados o ZMA deve ser administrado antes de dormir, com o estômago vazio (2 horas após a última refeição e pelo menos 30 minutos antes de outros suplementos). O produto não deve ser ingerido com cálcio (ou também com produtos lácteos), a razão por trás dessa recomendação é que o cálcio bloqueia a absorção de zinco no estômago.