Um estudo que está em um estágio inicial sugere que cannabis de origem vegetal (maconha) pode um dia ajudar a combater doenças.

A utilização médica de canabinoides ou substâncias químicas ativas encontradas na maconha, vêm ganhando interesse dos pesquisadores nos últimos anos, abrindo novos horizontes para a exploração de potenciais curas.

Pesquisadores da Universidade de Alcalá de Henares encontraram evidências de que determinados componentes químicos da cannabis retardam o crescimento de células cancerosas na próstata. A pesquisa foi publicada no British Journal of Cancer. No entanto, especialistas afirmam que a pesquisa ainda está na fase exploratória e ainda será preciso muitos anos de testes para determinar a aplicação dos resultados no tratamento do câncer humano.

Depois de trabalhar inicialmente com células humanas, Inés Díaz-Laviada e sua equipe também testaram um composto em ratos e descobriram que reduziu significativamente o crescimento do tumor.

Os canabinoides testados pela equipe de cientistas espanhóis parecem agir contra o câncer de próstata, bloqueando um receptor ou porta molecular na superfície das células tumorais. Que param a divisão dessas células.

Algumas companhias farmacêuticas já estão explorando o potencial de canabinoides para o câncer, incluindo a empresa britânica GW Pharmaceuticals, que é especializada em medicamentos à base de cannabis. GW está trabalhando com Otsuka Japão em pesquisas anteriores sobre o uso de extratos de maconha para o tratamento de câncer de próstata (o mais comum entre a população masculina), câncer cerebral e câncer de mama.