A proteína produzida a partir de 46 fragmentos de proteínas virais, com grande potencial para estimular a resposta imune, é o candidato para uma vacina preventiva contra o HIV que poderá começar a ser testada com quinze pessoas saudáveis em dois anos.

Pesquisadores HIVACAT (Projeto de pesquisa de vacina HIV na Catalunha), dirigido pelo Dr. Bonaventura Clotet de IRSI Caixa, e Josep Maria Gatell, Hospital Clínic-IDIBAPS, anunciaram segunda-feira que cinco anos após o início tornou-se capaz uma nova abordagem com um imunógeno, elaborado a partir do conhecimento gerado neste campo nos últimos anos.

O chefe de virologia e imunologia, Julià Blanco, que liderou o estudo, explicou que para criar esta proteína estudaram mil pacientes com AIDS, com o objetivo de estudar as proteínas que estimulam uma boa resposta imune.

Resultados Promissores

Até o momento, estudos com ratos, realizados também em colaboração com o National Institutes of Health (NIH), em Washington, têm mostrado resultados promissores e mais estudos serão iniciados em breve com coelhos, porcos e macacos para passar a fase I de testes em seres humanos dentro de dois anos, uma vez que passou pela autorização da Agência Espanhola de Medicamentos e as agências reguladoras tais testes.

O problema é que não há vacina para curar a infecção, como pode acontecer com a gripe e, portanto, era necessário estudar o que as pessoas fazem para controlar ou criar uma imunidade contra a doença. Para fazer isso, nós identificamos as regiões da proteína e GP-120 GP-41, que são as proteínas externas do vírus e os alvos dos anticorpos que são capazes de gerar anticorpos neutralizantes.