A esclerose múltipla (MS, por sua sigla em Inglês) é um transtorno degenerativo do sistema nervoso.

Esta consiste em uma inflamação e cicatrizes das bainhas de mielina (envolturas compostas de substâncias gordurosas que isolam as fibras nervosas) que cobrem o cérebro e a medula espinhal o que impede ou elimina a comunicação entre as terminações nervosas.

A esclerose múltipla afeta geralmente a população de adultos jovens (entre 20 e 40 anos), principalmente as mulheres com parentes próximos com esclerose múltipla e que vivem no hemisfério norte, o que sugere a existência de fatores genéticos e ambientais em seu aparecimento e desenvolvimento.

Dependendo da área afetada em particular, os sintomas podem variar de indivíduo para indivíduo. Por exemplo, o dano no nervo óptico pode causar problemas de visão (visão reduzida, visão turva ou dupla, problemas com a detecção das cores).

Se os nervos da medula espinhal são danificados, pode haver sintomas como fraqueza e sensação de peso nas pernas ou braços, sensação de formigamento nas mãos e pés, etc. Se houver danos aos nervos do tronco cerebral, o equilíbrio é afetado, provocando o aparecimento de vertigem.

No entanto, também existem sintomas secundários que surgem devido aos sintomas primários mais do que a própria doença como a perda de massa muscular e óssea, impotência, depressão e infecções do trato urinário.

É importante observar que existem três tipos de esclerose múltipla. A mais comum é conhecida como o remetente, os sintomas duram vários dias ou semanas e depois desaparecem durante meses ou anos. O outro tipo de esclerose múltipla é a crônica progressiva em que há um agravamento gradual dos sintomas, sem remissão. O terceiro tipo de é a esclerose múltipla primária progressiva, em que a deterioração é visível desde o início e que pode causar uma paralisia parcial que requer, ao final, o uso de uma cadeira de rodas.

Remédios Caseiros Para Aliviar a Esclerose Múltipla

  • Coloque 2 colheres de sopa de ginkgo biloba em um copo de água fervendo. Cubra e deixe esfriar. Coe e beba uma xícara diária. Esta infusão é um poderoso antioxidante e aumenta a circulação de sangue, o que pode melhorar os sintomas associados a esta doença, tais como perda de memória, impotência, vertigem, etc.
  • Lave e corte ao meio 1 laranja e 1 kiwi. Extraia o suco da laranja e coloque em um liquidificador com o kiwi picado. Misture por alguns instantes. Tome este suco diariamente. Este remédio, do mundo da terapia do suco, ajuda a fortalecer o sistema imunológico. De acordo com estudos, uma pessoa com defesas fortes tem menos probabilidades de desenvolver esclerose múltipla.
  • Ferva durante cinco minutos uma raiz de gengibre previamente lavada e cortada em um copo de água. Após esse tempo, retire do fogo e deixe esfriar. Tome duas xícaras desta infusão diariamente. Este remédio alivia a sensação de tontura e vertigem que se sofre por causa desta doença. Também tem um efeito anti-inflamatório, o qual é positivo.
  • Consuma salmão ou qualquer peixe oleoso quatro vezes por semana, pelo menos. Foi determinado por pesquisas que estes alimentos ricos em Ômega 3 têm um efeito anti-inflamatório, o que provoca uma melhoria dos sintomas que se apresentam com a esclerose múltipla.

Recomendações

• Evite o estresse, a exposição ao calor (água quente, sol e clima quente) e fadiga excessiva, já que pioram os sintomas.

• Realize exercícios leves regulares (sempre que não eleve a temperatura corporal), como a natação.

• Recomenda-se também a prática de outros exercícios (alongamento) na água fria de uma piscina, porque a temperatura corporal se conserva baixa e a água suporta o peso do corpo.

• Evite o consumo de alimentos ricos em gordura saturada, colesterol e bebidas alcoólicas, já que foi possível observar que em países orientais como Japão, China e Coréia, onde a dieta é mais rica em alimentos de origem marinha, sementes, verduras e frutas (Ômega-3), que a ocidental, esta doença é praticamente desconhecida.

• Evite a exposição a produtos químicos como pesticidas, produtos químicos industriais e metais pesados, já que poderiam favorecer em parte o desenvolvimento da esclerose múltipla. Neste sentido, recomenda-se a substituição de amálgamas de mercúrio, utilizadas em odontologia, já que em algumas pessoas produzem sintomas idênticos aos da esclerose múltipla. De fato, verificou-se que os indivíduos com esclerose múltipla têm em seu organismo sete vezes mais mercúrio do que o resto da população.

• Mantenha os processos mentais ativos, mediante a realização de palavras cruzadas, operações matemáticas, xadrez, etc.

• Consuma apenas alimentos cultivados organicamente (sem substâncias químicas ou aditivos), como frutas, cereais sem glúten, legumes, etc.

• Tome, pelo menos, oito copos de água para prevenir a acumulação de substâncias tóxicas nos músculos e no organismo.

• Evite o consumo de óleos processados ou que tenham sido submetidos ao calor (durante o processamento ou o cozimento).

• Realize testes, a fim de comprovar se você tem intolerância ao glúten. No caso de sofrer com esta intolerância, deve-se evitar o consumo de alimentos com glúten, já que, de acordo com estudos, eliminá-los da dieta de forma oportuna pode retardar o avanço da doença e inclusive evitar que se produzam mais danos.

• Repouse na cama quando os sintomas são exacerbados, por pelo menos dois dias.