Quando a halitose tem origem na cavidade oral pode ter diferentes causas: a presença de cárie, doença periodontal, sangramento ou posição dos dentes inadequada, uma boa higiene oral previne resíduos de comida deixados na boca.

Outra causa do mau hálito é a diminuição da saliva na boca, conhecida como boca seca.

Isso pode refletir fatores como idade, estresse ou ronco durante o sono.

Um fato interessante é que algumas dietas causam uma condição chamada de “o cheiro da fome”, que é o resultado de cetose ou uso incompleto de gordura corporal.

Para o médico Pizarro, a halitose pode tornar-se um problema crônico, e quanto mais cedo o paciente é avaliado melhor.

O que facilita o odor?

Como indicado acima, as bactérias são a causa mais comum do mau hálito, elas formam o que é conhecido como placa bacteriana.

As bactérias se reproduzem a uma velocidade tremenda, e encontram um habitat ideal em nossa boca, restos de comida na boca são um problema sério, a reprodução de bactérias é muito maior.

O que ajuda o mau hálito?

Além dos ácidos perigosos que promovem a cárie dentária, as bactérias liberam compostos voláteis de enxofre que dão um odor fétido. A característica destes microrganismos é revertida apenas quando eliminamos da nossa boca. Precisamente com este objetivo, foram criados inúmeros truques. Alguns, como goma de mascar ou balas, são limitados, apenas para mascarar o odor.

Outros, porém, como bochechos anti-bacterianos, pasta de dentes servem para remover esses germes, mas sua ação é apenas temporária, diz o Dr. Pizarro.