O corrimento vaginal é comum em mulheres grávidas e naquelas que também não estão. Pouco depois de engravidar, o seu corpo começa a produzir estrógeno e progesterona adicional, que desencadeiam fluxo mais abundante de secreções vaginais.

Embora seja mais perceptível no terceiro trimestre, também pode ser visto nos primeiros meses, algo como um muco espesso branco, chamado leucorreia, leitoso e com cheiro leve, pode ser mais perceptível assim que a gravidez avança.

Se o corrimento vaginal é verde ou amarelado, com cheiro forte e acompanhado de vermelhidão ou coceira, então pode ser uma infecção por fungos. Um dos mais comuns durante a gravidez é a candidíase ou infecção por fungos.

Corrimento vaginal deve ser branco leitoso e mucoso, e não deve ter um odor desagradável, mas pode cheirar algo diferente do que você está acostumada, não deve ser irritante, nem deve ter coceira, uma vez que estes podem ser sintomas de uma infecção vaginal.

Leia também: “Infecção Vaginal: Sintomas de Infecção Vaginal“.

Durante o terceiro trimestre da gravidez, as mulheres costumam perceber que aumenta o fluxo desse corrimento, o que é devido a queda iminente do tampão do muco, localizado no colo do útero, que quando liberado, pode indicar o último estágio da gravidez antes do nascimento.

Muitas mulheres não percebem o lançamento do tampão mucoso, mas pode ser um corrimento vaginal manchado de sangue, devido à pressão da cabeça do bebê.

Ele também pode ocorrer no final da gravidez, assim o fluído vaginal excessivo acumula na vagina e esse excesso de muco pode extravasar para fora quando a mulher se levanta da manhã, o que pode ser confundido com o rompimento da bolsa.

Se isso acontecer, você deve ir ao seu médico, especialmente se a gravidez é de menos de 37 semanas de gestação, se isso continuar nas próximas horas, você provavelmente já começou a entrar em trabalho de parto e sua bolsa já está rompida.

Lembre-se que aos primeiros sinais de uma infecção vaginal como prurido, corrimento em cores amarelo forte ou verde, odor fétido, o médico deve ser consultado. Pois infecções que aparentemente são inofensivas podem trazer graves consequências para o bebê, e nada mais indicado do que um médico para tratar o seu problema, afinal nessa fase da gravidez não são todos os remédios que podem ser tomados.