Durante a gravidez é preciso restringir o uso de qualquer medicamento, uma vez que mesmo por mais inofensivo que seja, pode causar danos na mulher grávida. Isso é porque ninguém nunca deve se automedicar e sempre consultar o seu médico quando precisar tomar qualquer medicamento.

Outra questão a considerar é o tempo de gravidez já que os primeiros meses são cruciais, pois é quando o feto está formando os órgãos e a medicação pode causar malformações no feto. Por outro lado, há medicamentos que conseguiram em um estágio mais avançado de gestação levar ao parto prematuro. Quando falamos de recomendação com relação à medicação também se estende aos remédios naturais, chás de ervas, infusões ou comprimidos feitos a partir de plantas que muitas vezes não são totalmente inofensivos.

Aqui vamos resumir os efeitos e recomendações sobre alguns tipos de drogas.

Antibióticos geralmente devem ser evitados durante a gravidez. Embora existam alguns que sejam completamente seguros é melhor não arriscar. Deve ser o ginecologista quem recomendará ou prescreverá, sempre levando em conta o seu caso específico.

Em termos de tratamentos para doenças crônicas é impensável a situação, já que é inevitável deixar de tomar a medicação. Mas nem sempre foi assim, visto que a muito tempo atrás era impensável que as mulheres com hipertensão, diabetes ou lúpus engravidassem. Hoje graças aos avanços da farmacologia, as mulheres com estas condições podem ter um filho, mas claro sob supervisão médica.

Essas gestações necessitam de rigorosa supervisão médica, pois as doses de medicamentos devem ser adaptadas a cada momento da gestação. Normalmente, os benefícios da medicação superam os danos que podem causar. Mulheres com doenças crônicas devem agendar antecipadamente a sua gravidez e seguir as instruções do especialista, que vai indicar quando atende às condições e estão mais propícias para conceber.

Quando falamos sobre a dor é impossível não mencionar os famosos analgésicos. Na medida do possível devem ser evitados, mesmo se a dor é insuportável os médicos recomendam doses baixas de aspirina ou paracetamol. Este último apenas durante os primeiros seis meses de gravidez, não é recomendado o seu uso durante o terceiro trimestre.

Quando se consulta um médico geralmente recomenda o uso de alguns suplementos vitamínicos, mas nunca devem ser tomados por conta própria, porque em doses elevadas podem causar danos ao feto. Se não há grandes transtornos, uma dieta balanceada que inclua frutas, legumes, alimentos ricos em proteína, grãos e produtos lácteos; geralmente fornece quantidades suficientes de vitaminas e minerais.

Mas há casos em que o mero fornecimento é insuficiente e os médicos recomendam suplementos:

  • Ácido fólico: essencial para o desenvolvimento adequado do bebê. Durante a gravidez a necessidade por essa vitamina duplica, por isso muitas vezes é recomendado a sua administração.
  • Leia também: “A importância do ácido fólico durante a gravidez”.

  • Minerais: cálcio, ferro e zinco são os mais procurados pelo corpo. A anemia é geralmente um problema, já que necessidade do corpo da mãe aumenta sendo ela a sua própria fonte e do seu bebê fornecendo células vermelhas para ambos, o ferro é também um dos suplementos mais recorrentes.
  • Leia também: “Lista de alimentos ricos em ferro”.

    Como já observamos subir escadas é um dos exercícios que queimam mais calorias, então suba degraus em casa, no trabalho ou em locais de lazer, é uma ajuda para perder ou manter o peso, especialmente quando se considera que os estudos médicos descobriram que queima calorias até duas vezes mais do que caminhar.

    Em casos de febre, essa normalmente representa uma infecção, por isso antes de tomar antitérmicos veja um médico para examiná-la. Este irá prescrever alguns antitérmicos, a partir de febre acima de 39°C, afinal essas temperaturas elevadas podem prejudicar o desenvolvimento do bebê.

    Finalmente, em relação às vacinas, antes de engravidar, você deve ir a um especialista para ter certeza de que você não perdeu nenhuma, porque a maioria delas não pode ser usada durante a gravidez.