Certamente se você é mãe de primeira viagem e está na hora de inserir a papinha na alimentação do seu bebê, você já deve ter se perguntado qual a idade ideal para oferecê-la, qual alimento seria o mais adequado, qual a quantidade e muitas outras questões e preocupações, por isso é importante que você leia as dicas a seguir, que vão norteá-la quanto ao melhor momento para oferecer a papinha para seu bebê.

Embora haja divergências sobre a idade que o bebê deve começar a comer sua primeira papinha, certamente com mais de seis meses vai estar pronto para começar a comer outros alimentos que não o leite materno, sempre devagar combinado com leite materno ou fórmula que se assemelhe ao leite e seguindo o conselho do médico.

Mas o próprio bebê é capaz de te ajudar em tal tarefa, afinal através dos seus instintos ele pode tanto pedir a comida quanto recusar. Normalmente quando ele quer demonstrar que quer o alimento, uma das formas é quando ele pega a colher da sua mão e leva até a boca, ou quando se sente insatisfeito tende a acordar mais durante a noite.

Nas primeiras alimentações tente algo simples, mas antes de guardar as papinhas não se esqueça de etiquetá-las com o nome dos ingredientes e a data de validade, para evitar assim uma intoxicação ou em caso de alergia por algum alimento ter maior grau de certeza do que tenha causado.

Comece com preparações à base de frutas e vegetais e cereais e mais tarde faça com arroz e deixe para inserir alimentos que contenham glúten por último. Certifique-se de que quando você dá a sua primeira refeição, o ambiente é relaxante, você não deve se distrair e sente o bebê da forma mais confortável possível.

Use colheres pequenas, de preferência de borracha, para não danificar as gengivas e comece com pouco, com pequenas quantidades e aumentando gradualmente de acordo com que o bebê vai aceitando a comida e conforme necessário. Comece com os legumes para o almoço, um ou dois tipos no máximo na primeira papinha, e aumenta em uma semana, para que você possa ver como o bebê está reagindo a nova alimentação. Com o passar do tempo comece com o mingau de fruta, mas sempre de forma lenta e progressiva, para ver a reação de cada alimento no bebê.

Não se esqueça, muitos estudos comprovam que a criança reconhece os gostos dos alimentos pelos pais, se você não oferece determinado tipo de alimento porque você não gosta, não quer dizer que o bebê não vá gostar também. Muitas crianças crescem muitas vezes não conhecendo os gostos todos os alimentos e ainda dizem que não gostam, mas na verdade nunca tiveram a oportunidade de experimentar.

Por isso antes que a criança diga que não gosta de determinado tipo de alimento, a mãe deve insistir com o bebê dez vezes no mesmo alimento. Se depois de oferecido dez vezes e ainda assim o bebê recusar, é porque o alimento realmente não agradou seu paladar.