O cérebro é, sem dúvida, o órgão mais complexo do nosso corpo, e que governa os nossos pensamentos e emoções. Pode-se dizer que é composto por duas partes: o cérebro racional e o cérebro emocional. Ambos os lados devem manter um equilíbrio para que a nossa saúde física e mental seja adequada.

Enquanto o cérebro racional se baseia em evidências objetivas e estabelece relações entre causas e efeitos, o cérebro emocional funciona de forma diferente. É mais rápido do que o primeiro, já que não analisa as consequências das ações e atua por impulso.

O Sistema Límbico do Cérebro Emocional

Foi descoberto que a parte do cérebro que controla as emoções psicológicas é o chamado sistema límbico profundo, localizado na área frontal deste órgão. Ocupa-se da gestão das emoções, memória e aprendizagem, e é aproximadamente do tamanho de uma noz.

Graças ao sistema límbico somos capazes de armazenar informações em nossa memória, o que afeta profundamente o nosso estado emocional. Por exemplo, os traumas do passado nos fazem sentir emoções negativas, enquanto que as boas lembranças nos enchem de otimismo.

O sistema límbico é composto principalmente pelo hipocampo, responsável pela memória; a amígdala, que se ocupa das emoções e do estado de humor; e o hipotálamo, que controla todas as funções do sistema límbico.

O Hipocampo: O hipocampo está localizado no interior do lobo temporal, abaixo da superfície cortical, e recebe esse nome por sua semelhança com um cavalo-marinho (cientificamente chamados de “hipocampo”). Desempenha um papel chave na memória e na concepção de espaço, assim como na capacidade de orientação.

De fato, em condições como o Alzheimer o hipocampo é uma das primeiras áreas do cérebro que se deterioram, assim como em outras doenças associadas com a perda de memória, como a amnésia. Se você sofre dano ao hipocampo, terá graves problemas para se lembrar e para criar novas memórias.

A Amígdala: A amígdala, por sua vez, também está intimamente relacionada com a memória, pois ajuda na consolidação da mesma. No entanto, sua principal função é processar e armazenar as reações emocionais. Desempenha um papel essencial em sentimentos como o amor, o medo, o ódio, e é essencial para identificar os riscos e saber como reagir diante deles.

O hipotálamo: A terceira estrutura que compõe o sistema límbico é o hipotálamo, localizado por baixo do tálamo. Cumpre diversas funções, como a liberação de hormônios ou o controle da temperatura corporal. Também regula o comportamento alimentar e a ingestão de líquidos.

Quanto às emoções, o hipotálamo é responsável pelo controle da expressão fisiológica as emoções. Isso cria substâncias químicas relacionadas a sentimentos como tristeza, agressividade, amor ou raiva. Também influencia notavelmente no desejo sexual. Outra de suas funções é regular a temperatura corporal e o ciclo do sono.

Leia também: “Quais São as Principais Partes e Funções do Cérebro?

Outras Áreas do Cérebro Emocional

Encontramos em nosso cérebro outras áreas importantes para o controle das emoções. Um exemplo é o córtex pré-frontal, localizado na parte frontal do cérebro. Este cuida da nossa concentração, empatia, julgamento e controle emocional. Uma baixa atividade do córtex pré-frontal torna uma pessoa distraída e desorganizada, enquanto que uma atividade excessiva pode causar ansiedade, estresse e hiperatividade.

Sob as têmporas e atrás dos olhos repousam os lobos temporais. São os responsáveis ​​pelo reconhecimento de objetos e pela estabilidade do humor. Sofrer danos nos lobos temporais pode levar-nos a agir com agressividade, raiva ou sofrer de depressão grave.

Finalmente citamos os gânglios da basais, que podem ser definidos como um conjunto de núcleos que rodeiam o sistema límbico profundo. Sua função é relacionar os movimentos com os sentimentos e pensamentos diante de determinadas situações.