Um grupo de pesquisadores da Universidade de Granada (UGR), liderada pelo professor do Departamento de Radiologia e Medicina Física, Nicolas Olea Serrano, participa de uma investigação europeia orientada para, estabelecer a relação entre a exposição precoce a certos produtos químicos, incluindo alguns presentes em plásticos, detergentes e a propensão para doenças como malformações geniturinárias, infertilidade ou câncer testicular.

A instituição acadêmica ressalta que, este projeto difere de outros estudos similares porque “o inquérito não é feito com substâncias isoladas, e sim estuda os efeitos causados pela combinação de compostos químicos, analisados de forma independente”.

A obra, com o nome de CONTAM, pertence ao Sétimo Programa-Quadro da UE e foi financiada com 3,49 milhões de euros através da administração europeia a desenvolvê-la nos próximos três anos.

O grupo UGR é responsável pelo recrutamento de pacientes e voluntários, bem como a preparação e entrega de amostras de tecidos humanos para estudos realizados em outros grupos. Em colaboração com outros participantes, desenvolver um protocolo ideal para a preparação de amostras adequadas para análise do CONTAM. Também é responsável pela geração de novos dados sobre as concentrações de desreguladores endócrinos (produtos químicos fora do corpo humano que geram o rompimento de alguns processos fisiológicos) em tecidos humanos, tais como alquilfenó e o bisfenol-A. O grupo irá participar da elaboração de um relatório final sobre a avaliação do efeito da exposição a resíduos químicos diversos.

“Nós estamos falando sobre substâncias químicas que apresentam principalmente dois problemas: em alguns casos, é bioacumulativo, ou seja, se o contato ocorreu há anos, o efeito pode aparecer mais tarde por causa de sua acumulação e persistência no organismo, tais como no caso de pesticidas, em outros, são substâncias presentes em produtos de uso diário, como plásticos, detergentes ou produtos cosméticos, muito difíceis de remover da vida cotidiana, e que constituem uma exposição contínua”, disse Olea.

O inquérito chegou a várias conclusões que se associaram aos sete grupos que realizam o projeto juntamente com a UGR, Brighton, Roterdã, Zurique, Bremen, Bristol e Copenhaga. Eles estabeleceram uma relação entre a exposição a esses produtos e as condições específicas, tais como criptorquidismo ou ausência de descida dos testículos, ou seja, a ausência dele em sua posição normal no escroto, bem como a infertilidade, que, como o pesquisador afirmou é mais comum entre os jovens europeus.