Nos meses de inverno ocorre, geralmente, a maior incidência de sintomas respiratórios na fase infantil. Especialmente nas crianças, cuja idade é inferior a 6 anos.

A causa principal é a falta de resposta imune a este tipo de agressão, e sua incidência é maior quanto mais jovem for criança, juntamente com as características especiais desses meses de clima frio.

Dentro do possível vamos tentar esclarecer sobre as regras e principais dicas para lidar com essa situação. Os sintomas da gripe são caracterizados por agressão grave da mucosa do trato respiratório e, por vezes também do aparelho digestivo. Isso significa que a criança vai ter uma dor mais ou menos intensa na garganta, febre alta, mal-estar generalizado, decadência, possivelmente, náuseas e perda de apetite devido a essa agressão. O quadro clínico é o mesmo do adulto e da criança, com exceção da hipertermia (aumento da temperatura) que é muito mais elevada nas crianças, e se for muito novo e não puder falar para explicar o que sente muito provavelmente ele irá chorar.

Uma vez que o ataque de febre começa a ceder, a mucosa descama e começa uma etapa de abundante produção do muco, o que para eliminar é acompanhado pela tosse, um reflexo natural do corpo feito para expelir partículas que não devem estar presentes no organismo. A criança e, especialmente, em uma idade jovem tem uma dificuldade adicional, porque não sabem tossir. Finalmente melhora a tosse e termina o processo.

Se nenhuma agressão à mucosa gastrointestinal melhor ainda, mas caso apareça pode ser através de náuseas, presença de fezes tipo diarreia, podendo até desenvolver uma enterite.

Leia também: “As Doenças Respiratórias Mais Perigosas do Mundo“.

Tratamento Para Doenças Respiratórias em Crianças

Tratamento nesta fase é a administração de antipiréticos, boa hidratação e descanso, uma vez que a utilização de antibióticos não é de nenhuma utilidade por ser um processo viral.

O tratamento irá variar, se houver uma condição prévia com a possibilidade de se complicar. Nesse caso, é possível que a utilização de antibióticos por meio da solicitação do pediatra, em raras ocasiões e com supervisão médica. A complicação mais comum é a pneumonia. Sinais de alerta que exigem a visita ao seu médico sempre é possível, porque é quem sabe da criança e da sua evolução:

  • Quadros febris com mais de 5 ou 6 dias de evolução.
  • A deterioração da saúde geral com a presença frequente de vômitos e dor abdominal.
  • Falta de ar.
  • Quanto mais baixa a idade, maior deve ser o cuidado, especialmente com menos de 6 meses de idade, uma vez que, possivelmente, podem requerer hospitalização.