A asma infantil, tal como no caso dos adultos, é uma doença muito comum, que é produzida por uma inflamação nos pulmões, o que reduz a capacidade de respirar.

Em outras palavras, durante um ataque de asma, o fluxo de ar é reduzido, à medida que as vias aéreas se inflamam e incham.

As contrações musculares e um muco espesso impedem a respiração.

Existe uma série de fatores que podem ativar a condição asmática em uma criança como são as alergias (pelos de animais, poeira, pólen, etc.), irritações (fortes odores como o fumo do tabaco), mudanças climáticas bruscas ou infecções nas vias respiratórias (como o resfriado comum). Uma criança que sofre esta condição apresenta muitas complicações ao inalar e exalar.

Sintomas de uma Criança Asmática:

  • Respiração ofegante.
  • Fadiga precoce durante a prática de esportes.
  • Aperto no peito.
  • Tosse seca.
  • Constante sensação de falta de ar.

A asma infantil pode ir reduzindo ou inclusive desaparece à medida que a criança cresce, se são mantidos os cuidados apropriados.

Leia também: “Novo Medicamento para Asma Infantil“.

Remédios Caseiros Para Asma Infantil:

  • Despeje 2 colheres de sopa de mirtilos amargos em um copo de água quente. Misture e beba (a criança) lentamente. Este remédio facilita a dilatação dos brônquios e diminui a produção de muco.
  • Ferva durante 5 minutos 1 colher de sopa de raízes de helênio previamente lavadas e picadas. Cubra e deixe esfriar. Este remédio permite eliminar as secreções dos brônquios comuns nos casos de asma.
  • Despeje um punhado de sementes de girassol em um litro de água e deixe ferver até reduzir pela metade. Filtre e misture com mel. Ferva novamente até ficar macia. Armazenar em um frasco de vidro de fecho hermético. Use quando aparecer episódios de tosse que acompanham a asma. Este remédio apenas deve ser administrado para crianças com idade superior a cinco anos.
  • Realize vapores de infusão de folhas de eucalipto no quarto da criança.
  • Tome muita água para limpar os brônquios e permitir a saída das secreções.
  • Ferva, durante 5 minutos, 1 cebola cortada em rodelas e em seguida, envolva em um pano de algodão limpo, o qual será aplicado, ainda quente (mas sem chegar a queimar a pele), como um emplastro, sobre o peito da criança até que esfrie.
  • Despeje 2 colheres de sopa de folhas de verbasco em 1 xícara de água que está fervendo. Cubra e deixe esfriar. Beba (a criança) esta infusão de uma vez para fortalecer os pulmões.
  • Deixe a criança tomar banhos quentes (mas toleráveis) diariamente de 10 a 15 minutos. Caso ocorra uma crise leve pegue algumas toalhas, mergulhe-as em água quente e use para envolver os antebraços e as pernas (entre joelhos e pés) da criança. Esta operação deve ser renovada a cada 10 a 15 minutos. Este remédio muitas vezes ajuda o desaparecimento imediato dos transtornos.

Leia também: “Dieta Mediterrânea Reduz Sintomas de Asma Infantil“.

Recomendações: Confirme com o seu pediatra ou, na sua falta, um alergista que a criança é realmente asmática.

Certifique-se que o quarto da criança asmática seja “austero” se tiver sido diagnosticada como alérgico a poeira ou aos ácaros. Ou seja, você contar apenas com o essencial (para que não se acumule poeira) e, se possível, com poucos elementos têxteis (tapetes, cortinas, etc.). Você também deve forrar o colchão e os travesseiros da criança com cobertas de plástico. Se a criança é alérgica a animais de estimação, o mais recomendável é retirar estes. Se não retirar, você deve lavar seu animal de estimação regularmente para reduzir o alérgeno e expulsá-lo do quarto da criança. Em geral, você deverá evitar, se possível, que a criança mantenha contato com qualquer um dos elementos gatilhos da doença.

Evite o consumo de alimentos com capacidade alérgica como o leite de vaca (substitua pelo de soja), ovos, frutos secos, mariscos, etc. Informar todos os envolvidos com a criança asmática (professores, funcionários de creches, etc.) sobre a sua condição para evitar inconvenientes no caso de que se apresente uma emergência.

Ensinar a criança a fazer respirações com o abdômen. A respiração lenta, duas vezes por dia, 10 vezes cada uma, pode ajudar que a criança aprenda a usar o inalador com medidor de dose. Além disso, se a criança sabe como respirar profundamente, lentamente, pode ajudá-lo a se acalmar durante um ataque de asma. Mas o tipo de respiração é o que faz a diferença. Ajude a criança a praticar a respiração diafragmática, que significa segurar o peito, enquanto se faz uma respiração profunda movendo o abdômen.

Para fazer isso, faça com que a criança se deite no chão, e coloque um livro sobre o abdômen. Diga-lhe que faça com o que livro se mova para cima e para baixo cada vez que respirar. Que aperte os lábios e inspire o mais profundamente possível. Em seguida, mostre-lhe como soltar os lábios e deixar o ar sair muito lentamente.

Mantenha um diário da asma. Mantenha um registro dos sintomas, do que os causou, da leitura diária do espirômetro e dos medicamentos. Esta informação poderá te ajudar a evitar as coisas que fazem com que surjam os sintomas, e ajudará o seu médico a ajustar a medicação da criança, conforme necessário.

Torne sua casa uma zona livre de fumo. A fumaça do tabaco, das lareiras e fogões a lenha podem desencadear um ataque de asma. Não se deve permitir que ninguém fume na casa de uma criança asmática. Se houver um fogão a lenha em casa, seria melhor instalar outro tipo de sistema de aquecimento.

Fazer exercícios de respiração divertidos. Para ter força pulmonar e exercitar as vias respiratórias, a criança pode tocar um instrumento musical ou te ajudar a encher balões. Em ambos os casos, a criança deve ser encorajada a fazer respirações diafragmáticas, em vez de “com o peito”.

Praticar com regularidade uma atividade física (natação). Conservar inaladores extras sempre a mão. Em caso de uma emergência por asma tenha sempre um inalador, mais do que os que calcula serem necessários. Conserve coberto o adicional na gaveta inferior da cozinha.

Mantenha a calma durante as crises. Quando ocorrer um ataque, é recomendável que os pais permaneçam calmos e falem em tons suaves. Você pode dizer, por exemplo: “Eu estou aqui e eu vou te ajudar. Primeiro, vamos utilizar o seu inalador. Vamos usá-lo juntos. Agora você já tem o medicamento dentro de você e em breve se sentirá melhor”. Esta atitude ajudará a criança a se acalmar, se vê que você está tranquilo. Se a criança se altera, tosse ou chora, seu nervosismo ou pânico vão piorar a respiração ofegante.

Procure a sala de emergência nos seguintes casos:

  • Não pode falar e luta para obter o ar. Você pode ter prendido o nariz ou a pele fundida nas costelas ou na clavícula.
  • Grunhe a cada respiração.
  • Não se sente melhor dentro de quinze minutos após a medicação.