Quando falamos de alergias, a primeira coisa em que todas as pessoas pensam é no pólen, poeira ou gatos. Claro, são três dos tipos de alergias mais comuns na atualidade. No entanto, hoje vamos falar sobre um que, não menos conhecido, deixa de afetar menos pessoas. E é que, de um tempo até agora, os pequenos irmãos das moscas se converteram em um inimigo perigoso para as pessoas alérgicas.

Especificamente, são os mosquitos fêmeas os que produzem a alergia. A razão é que são as únicos que tomam sangue humano, necessário para sua reprodução. Estes mosquitos fêmeas, ao sugar a pele de uma pessoa, deixam saliva no organismo. É esta saliva e certas proteínas que contém as que podem provocar reações alérgicas e imunológicas no nosso sistema. Por esta razão, vale a pena se informar sobre a alergia a mosquito: sintomas e tratamentos. Pode afetar a qualquer um.

Sintomas da Alergia a Mosquito:

Embora não tenha muita pressão, a alergia a mosquito é mais comum do que parece. Ainda mais quando a comparamos com as 10 alergias mais raras do mundo. Por isso, é recomendável conhecer os sintomas de alergia a mosquito. Reconhecer a doença e agir a tempo pode ser crucial para evitar que os sintomas persistam e a situação se complique. Além disso, quanto maior o número de picadas, maior o perigo para a pessoa afetada. Muito cuidado com isso.

Alergia a Picada de Mosquito: Sintomas e Tratamentos

Inflamação: É a reação mais comum. Depois de uma picada de mosquito, a pele fica avermelhada e a área afetada se inflama. Em 99% dos casos, este inchaço desaparecerá sozinho em 24-48 horas. Se você não toca muito, inclusive antes.

Coceira: Claro, é complicado não tocar uma picada quando esta coça constantemente. Apesar de tudo, tanto o inchaço como a coceira, não são suficientes para categorizar alguém de alérgico a mosquitos.

Síndrome de Skeeter: Denomina-se Síndrome de Skeeter os casos nos quais a alergia a mosquito é grave e perigosa. Neste caso, as picadas comuns picadas se convertem em bolhas e seu tamanho é muito superior ao habitual. Inclusive podem chegar a inflamar um membro completo. Os sintomas, neste caso, demoram várias horas para aparecer.

Anafilaxia: Não é comum, mas pode acontecer. Especialmente se a picada foi múltipla, esta pode derivar em anafilaxia e requer uma intervenção de emergência.

Tratamentos Para Alergia a Mosquitos:

Os tratamentos para alergia a mosquito passam, especialmente, pela prevenção. Diante da menor dúvida, é melhor evitar as áreas de alta concentração de mosquitos, mas como isso nem sempre é possível, aqui estão alguns tratamentos para a alergia a mosquito.

  • Roupa longa: calças compridas e camisetas de mangas compridas evitarão que os mosquitos tenham fácil acesso a certas partes do seu corpo. Podem encontrar um buraco para picar, mas será mais difícil.
  • Evite pântanos e áreas de água parada: costumam estar em bandos nas áreas úmidas com pouco movimento de água. Se você as evitar, será menos um problema.
  • Repelente de mosquito: se você não tem escolha a não ser deixar partes do seu corpo expostas, use repelentes. Existem para adultos, mas também para bebês desde os três meses de idade.
  • Fumigar suas roupas: se você tem pele sensível, pode aplicar estes repelentes, inclusive algum mais potente, especialmente em suas roupas. Você também pode pulverizar sua barraca de acampamento, saco de dormir ou elementos de tecido que vai utilizar.
  • Não transpire: é complicado, especialmente no verão, mas quanto menos transpirar, menos mosquitos vão te picar. O odor corporal e as altas temperaturas os atraem, por isso uma transpiração forte é como um buffet livre para eles.
  • Corticosteroides e anti-histamínicos: são os elementos mais comuns para tratar as picadas de mosquito. Inclusive existem alguns médicos que prescrevem para o consumo diário, para prevenir possíveis reações.
  • Vacinas: no caso de se produzir uma anafilaxia, seria necessário ir ao hospital para que um profissional aplique a vacina pertinente.
  • Leia também: “Por Que os Mosquitos Preferem Algumas Pessoas?“.

    Dicas Para Alergia a Mosquito:

    No momento de evitar uma alergia a mosquito que pode se converter em uma condição crônica, nunca é demais seguir algumas dicas para alergia a mosquito. Acima de tudo, devemos ter claro que é preciso evitar situações suscetíveis a exposição à eles. E é que existem pessoas que, por certas circunstâncias, são mais propensas à esta condição.

    Por exemplo, aqueles que trabalham ao ar livre. A rua é um terreno fértil para mosquitos e em determinadas condições, podem ser contados em milhões. Nesse caso, o melhor é prevenir e puxar a manga comprida e o repelente.

    Outro segmento vulnerável a picadas de mosquito são os bebês. Não apenas têm pouco sangue, para que seja removido, mas seu sistema imunológico ainda está imaturo. Por isso, toda agressão externa pode se converter em um problema maior.

    Por último, aquelas pessoas com doenças imunodepressivas, devem fugir dos mosquitos como se fosse a peste. Ao não ter defesas, uma agressão, por menor que seja, pode ser letal. Melhor não arriscar. E se a mordida ocorre, sem hesitação, procure o centro de saúde mais próximo. A anafilaxia é uma coisa de minutos, a reação deve ser instantânea.

    Para não restar dúvidas, o último conselho que damos é que você faça o teste de alergia. Não apenas ao mosquito, você saberá se tem alergia a outros elementos comuns e economizará ao descobrir previamente. Vale a pena.