Muito deve ser alertado a respeito dos métodos utilizados para diagnosticar certos processos alérgicos onde muitos deles não são plenamente reconhecidos ou cientificamente comprovados sua eficiência e observa-se que enquanto forem utilizados esses métodos os processos alérgicos serão diagnosticados sem credibilidade, ou seja, um diagnóstico impreciso com chances de estar errado, colocando em risco a vida do paciente que se submete a tratamentos que não estão adequados para o seu problema.

Alguns profissionais dão o diagnóstico de certos processos alérgicos utilizando alguns métodos que não são totalmente reconhecidos como a “Histaminosis síndrome alimentar não alérgica” que não existe, ou seja, um diagnosticado que não têm credibilidade. É lamentável que esses procedimentos confusos atinjam os pacientes. Neste sentido, significa que o desespero em busca de alívio é amarrado a crença destes métodos. Trata-se, de uma melhoria com um efeito placebo.

Leia também: “Principais Testes de Alergia“.

Essas práticas geralmente ocorrem em médicos alergistas que não são especialistas, embora alguns especialistas também estejam usando esses métodos. Também observa que o diagnóstico errado da doença é um risco para o paciente, além de fazê-lo gastar com tratamentos desnecessários não ajudando em nada. Também se observa que o aumento alarmante de doenças alérgicas na sociedade moderna, leva cada vez mais médicos a quererem se aproveitar da situação para lucrar com o desconhecimento da população. Neste sentido, entre 30% e 35% da população ainda tem algum tipo de alergia, e que em sete ou oito anos esses níveis podem chegar a cerca de 50%.

Alergias Diagnosticadas Incorretamente

Tratamentos Individualizados Para Alergia

O ideal é que os tratamentos não sejam imediatamente realizados, necessitando de uma avaliação com exames, onde o tratamento será individualizado com alérgenos recombinantes, ou seja, com imunoterapia. No entanto, atualmente, o custo deste projeto é absurdo, pois, uma vacina pode chegar a até 20 milhões de euros. Nas condições do nosso país a grande maioria da população sofre com tratamentos placebos, já que dificilmente a saúde pública fornece medicações de alto custo.

É necessário então olhar de perto esta iniciativa, porque a primeira coisa a fazer é proteger a saúde das pessoas, embora dessa forma demore mais para conclusão do tratamento. Há empresas que estão na fase final do projeto, ou seja, quase a ponto de serem capazes de curar um indivíduo em um tempo relativamente curto. Estes tratamentos não são para todos os alérgenos ou alergias, vão começar mais abundante por alergias respiratórias, venenos de Hymenoptera e até mesmo com alergias à comida.