Hoje em dia, é fácil encontrar informações na Internet sobre o aumento do peito, mas nem sempre esse é o problema de um busto feminino. Podemos ter alguma anormalidade no mamilo ou na aréola, para a qual buscamos uma solução para um peito volumoso, mas caído, ou que tenhamos um problema de forma. Existem tantos casos como mulheres e, portanto, uma técnica cirúrgica para cada problema. Nós te contamos qual é a que mais se aproxima das suas necessidades.

Saiba Quais Os Tipos de Cirurgia de Mama:

"Quando nossos seios não são particularmente pequenos, mas com o passar dos anos tendem a cair distorcendo nossa figura, pode ser aconselhável uma intervenção de elevação das mamas", aconselha a Dra. Nelida Grande, especialista em cirurgia plástica, reparadora e estética. Existem vários graus de queda (ptose) do peito: leve, moderada ou grave. Normalmente, as causas de apresentar um ou outro costumam ser a idade, a qualidade da pele e ter passado pela gestação e amamentação. O cirurgião avaliará o nosso grau de "ptose", utilizando uma técnica ou outra. Mas como podemos saber o nosso? Se nos olharmos de perfil em um espelho e a aréola se localiza acima do arco submamário (a linha circular que existe sob a mama) não existe ptose ou é muito leve, mas abaixo da altura dessa linha, já pode ser considerado que sim. "Às vezes, se a queda não é muito pronunciada, com a introdução de uma prótese pode ser suficiente. No entanto, se é moderada ou grave pode ser necessária a prática da mastopexia", informa a Dra. A mastopexia é baseada em retirar cirurgicamente o excesso de pele da mama, e ajustar o resto até conseguir a elevação. Após este procedimento, costuma-se introduzir uma prótese para recuperar o volume.

Cirurgia de Mama: Uma Solução Para Cada Problema

Leia também: "Cirurgia de Aumento da Mama".

Outro caso com o qual podemos nos identificar é o contrário: muito volume. Isso pode até mesmo chegar a causar dor nas costas, suor excessivo, incômodas fricções com braços e axilas, e que inclusive a roupa não fique bem. Se você perceber esses sinais, pedir a um cirurgião. A técnica utilizada em uma operação de redução de mama é também a "mastopexia", já que o mais comum é que tenha uma queda muito evidente devido ao peso adquirido pelos peitos ao londo dos anos. No entanto, na redução se retira também parte da gordura acumulada e, por vezes, uma parte da glândula mamária. Não devemos esquecer que aqui é o caso de um busto assimétrico, onde as mamas são muito diferentes. Para isso, na cirurgia podem ser usadas diversas técnicas para conseguir a maior simetria possível (elevação, redução, aumento...). Mas não se assuste, já que se você tem uma leve diferença entre uma e outra mama deve saber que é muito comum na maioria das mulheres.

Há outros casos que são puramente genéticos, como o das mamas tuberosas, que começam a se mostrar na adolescência. Se você ainda é muito jovem, mas nota os seios muito duros, e sensação de que 'querem' crescer, mas tendem a fazê-lo apenas para a frente - em vez de adquirir uma forma arredondada e, natural -, pode precisar de uma intervenção de correção das mamas tuberosas.

E se o que desejos mudar não é a forma das nossas mamas, mas sim a da aréola ou do mamilo? De acordo com Dra. Nelida Grande "o fato de ter uma aréola grande, um mamilo invertido ou invaginado (dobrado para dentro) ou, ao contrário, muito marcado (longo), pode causar verdadeiros problemas de autoestima". Mas como você saber se temos, por exemplo, uma anomalia de mamilo invertido ou invaginado? Se de perfil em um espelho você vê o seu mamilo muito plano, e de frente para ele se vê como se estivesse escondido entre a aréola, isso significa que os filamentos musculares que deveriam localizá-lo corretamente ou não existem ou são muito curtos – o que pode ser reparado por um cirurgião plástico. Para saber com mais precisão, você pode apertar a aréola com o dedo indicador e o polegar, de modo que se em vez de se orientar para frente o mamilo se retrai, pode ser que o seu mamilo seja invertido. E nos casos em que estes são muito alongados, podem ser cortados com a cirurgia. Também, é possível reduzir a aréola. Em qualquer caso, falamos nessas supostas intervenções com anestesia local e sedação, sem necessidade de internação.