A Assembléia Legislativa da capital argentina aprovou uma lei que permite o livre acesso à cirurgia de reconstrução de mama e próteses para mulheres submetidas a mastectomia em hospitais públicos, a mídia local noticiou quarta-feira.

Com essa regra, que ainda precisa ser regulamentada pelo governo, “nós tentamos dar o acesso aos pobres aos recursos importantes para melhorar a qualidade de vida, que, se não for feito, causará danos psicológicos profundos” disse o legislador Helio rebotes, um dos promotores da iniciativa.

A lei diz que um dos seus principais aspectos foi que cerca de 40% dos pacientes que sofre de câncer de mama foi submetido à mastectomia e são na maioria dos casos pacientes com menos de 65 anos, com doença controlada e sobrevivência prolongada.

“Sob um paradigma cultural em que parte da identidade feminina é colocada sobre o corpo da mama, a mastectomia é vivenciada pelas mulheres como uma perda, como um ataque à sua avaliação”, disse Oscar Zago, um dos autores do projeto.

“É portanto imperativo, de saúde pública, proporcionar a possibilidade de reconstrução de mama para quem quer que seja”, disse ele.

Além da prótese interna, a lei aprovada pela Assembléia Legislativa de Buenos Aires prevê que o Estado dê dicas de saúde e faça cirurgias externas ortopédicas a seus pacientes.

Argentina Aprovou Legislação que Permitirá o Acesso Gratuito à Cirurgia de Reconstrução de Mama e Próteses

A Assembléia Legislativa da capital argentina aprovou uma lei que permite o livre acesso à cirurgia de reconstrução de mama e próteses para mulheres submetidas a mastectomia em hospitais públicos, a mídia local noticiou quarta-feira.