Existe algum tipo de vínculo entre a depilação a laser e o câncer? Até agora, nenhuma pesquisa descobriu que a energia da luz dos lasers de depilação pode causar câncer.

A radiação que pode causar câncer é a que se conhece como radiação ionizante de alta frequência, como são os raios-X e os raios gama. Ambos os tipos de radiação podem provir de fontes naturais, como o gás rádom, e também podem provir da energia nuclear e de testes de diagnóstico por imagem, como a tomografia computadorizada, em que se utilizam os raios-X para obter imagens do interior do corpo.

A radiação ionizante pode causar danos diretos no ADN de uma célula e provocar o aparecimento de um câncer com o tempo.

Na depilação a laser se utiliza a radiação não ionizante. Estes lasers não causam danos ao ADN. Os pulsos de energia de luz que são utilizados em tratamentos de depilação a laser apenas são projetados para aquecer e destruir os folículos pilosos.

Pode a Depilação a Laser Causar Câncer?

Além disso, a energia da luz destes lasers é superficial, isto é, que se mantém no nível da pele. A luz utilizada não penetra além das profundidades do folículo piloso, por isso os órgãos internos não podem ser afetados.

Pode haver algum risco para a saúde com a depilação a laser?

Não existe nenhum estudo que tenha demonstrado que a luz utilizada na depilação a laser causa câncer.

No entanto, sim, existem alguns efeitos secundários associados, como vermelhidão, a formação de cicatrizes e a descoloração na área tratada.

Para mais informações sobre a depilação a laser, não deixe de ler também “Body Laser, Depilação a Laser Por Especialista da Medicina Avançada“.