Existem alguns medicamentos amplamente utilizados pela população que, em contato com o sol, dão origem a lesões de pele semelhantes a queimaduras solares (às vezes até mais intensas). Essa reação imprevisível é chamada de fototoxicidade. Abaixo seguem as dicas de saúde para evitar a fototoxicidade.

  • Em que consiste a fototoxicidade? É uma reação que ocorre quando, depois de tomar um determinado medicamento ou usar algum tipo de creme, e entrar em contato com o sol, nossa pele fica irritada e danificada. A imagem que costumamos encontrar, nesses casos, é semelhante a sofrer uma queimadura solar exagerada: vermelhidão da zona afetada, inchaço e bolhas.
  • Algumas pessoas são mais propensas a sofrer? A verdade é que nem todo mundo que toma uma droga tem esta reação. Exige um certo viés pessoal. Enfim, é uma condição que pode ocorrer em indivíduos de qualquer idade.
  • Quais são os medicamentos que podem causar esta reação? Entre as medidas tomadas por via oral incluem uso de drogas comumente, como certos antibióticos (tetraciclina, sulfas), medicamentos para pressão arterial (diuréticos), certas drogas (piroxicam), amiodarona… E topicamente, incluem alcatrão, tinturas, perfumes, óleo de bergamota, plantas, tais como cenouras, funcho, endro, limão, laranja, limão, figos…
    Sol, Pele e Medicamentos: Uma Combinação Perigosa
  • O que podemos fazer, se for inevitável tomá-los, para prevenir a reação? Assumindo que é melhor não tomar a droga ofensora, se isso não for possível, devemos cobrir as áreas expostas ao sol, como o pescoço, face, pernas para evitar uma reação que afeta toda a imagem.
  • Quais são os sintomas da fototoxicidade? São semelhantes aos produzidos por uma queimadura solar exagerada: inchaço, vermelhidão, bolhas… Pode deixar, após a cicatrização, pigmentação residual.
  • No que difere de uma simples alergia? Existe uma imagem semelhante à fototoxia, chamada fotoalergia, que difere da anterior no mecanismo que produz: é alérgica. As lesões são semelhantes. Mas enquanto a fototoxia, trata-se de uma irritação quanto a imagem, apenas afeta áreas expostas ao sol, em áreas escondidas a fotoalergia também torna-se irritada.
  • Tratamento? Obviamente, sempre que possível, pare de tomar o medicamento, ou o que, gerou a reação. Se parar não for possível, como indicado antes, devemos cobrir as partes do corpo expostas ao sol usando chapéu, protetor solar alto (acima de 30 FPS)… Assim como o tratamento sintomático com pomada de cortisona podem ser úteis. Se predomina o prurido, anti-histamínicos orais podem proporcionar alívio.

O quadro de diagnóstico só pode ser feito quando uma pessoa tomou uma droga, que pode ser uma dessas que consta no artigo, ou não, tem uma reação cutânea compatível (queimadura, inchaço na área exposta à luz solar, bolhas). Não existem exames laboratoriais para confirmar ou descartar a fototoxicidade.

Se você acredita que apresenta um quadro de fototoxicidade, deves então voltar para o médico que prescreveu o medicamento. Nunca devemos parar a medicação prescrita pelo médico. E, obviamente, temos de evitar a automedicação. Por exemplo, a cortisona, mesmo em pomada, aplicada por um longo período de tempo faz com que a pele atrofie, entre outros efeitos colaterais indesejáveis.