Açúcar Em Bebês: Quantidades Recomendadas, Consequências E Conselhos

A partir de Saúde Dicas sempre tentamos dar as melhores dicas para manter uma vida saudável, tudo isso sempre incentivando bons hábitos alimentares, acompanhado de exercícios e um bom descanso. Mas uma vida saudável deve começar desde que nascemos, e os pais têm uma grande responsabilidade na saúde dos seus filhos desde o início. Hoje vamos falar sobre o açúcar em crianças, quantidades recomendadas, consequências e conselhos.

Em primeiro lugar, queremos destacar que, tanto para os adultos como para as crianças, o consumo de açúcar ao longo de cada dia deve ser moderado, já que, em excesso, pode ser prejudicial para a nossa saúde e causar doenças, como diabetes, obesidade e outras doenças cardiovasculares. Os adultos são mais conscientes para controlar os impulsos, mas um bebê deve ser educado desde o início.

Quando é recomendado introduzir o açúcar na dieta do seu bebê?

Em primeiro lugar, cabe destacar que a glicose é um hidrato de carbono simples, especificamente um monossacarídeo elementar que se encontra normalmente na sacarose (açúcar) que consumimos. Quando consumimos glicose, esta permanece na corrente sanguínea e passa por um processo mediante o qual é transferida até o fígado para produzir energia e o excesso é armazenado em forma de gordura.

Açúcar em Bebês: Quantidades Recomendadas, Consequências e Conselhos

As fontes onde podemos encontrar o açúcar são muito diversas, não é o mesmo consumir açúcar de cana-de-açúcar do que consumir uma maçã (a qual também possui o açúcar em forma de frutose e glicose). Apesar de serem duas fontes de açúcar e fornecer ambas as calorias em forma de carboidratos, para o nosso organismo a função e o metabolismo que ocorre com elas não é o mesmo.

Quanto ao consumo calórico total de um bebê, estima-se que são necessárias 40 quilocalorias por cada 2,5 centímetros de altura. Isto é, uma criança, que mede 75 centímetros de altura, precisará consumir aproximadamente 1200 quilocalorias por dia para ter uma boa saúde. Cabe destacar que estão em idade de crescimento.

A ingestão diária de açúcar em crianças de 1 a 3 anos, deve ser no máximo de cerca de 17 gramas de açúcar por dia. O que seria 7% a 8% das quilocalorias totais que precisaria o nosso bebê.

O açúcar escondido nos alimentos:

Como sempre, a dose faz o veneno e, infelizmente, vivemos em uma sociedade que abusa em excesso dos açúcares nos alimentos que geralmente se encontram nos supermercados. Alguns pensam que não consomem açúcar, porque não usam açúcar como tal em sua dieta, mas está presente nos alimentos que consomem.

Por exemplo, quando compramos presunto embalado, se lemos a etiqueta nutricional nos damos conta de que um dos ingredientes que possui precisamente é o açúcar. Convidamos você a ler as etiquetas dos alimentos que você compra e identificar quanto de açúcar possuem.

Além do açúcar, por vezes, os ingredientes costumam ser xarope de milho de alta frutose, concentrado de suco de fruta, sacarose, glicose, dextrose, suco de cana, malte, melaço, lactose, mel, maltodextrina e etil maltol. São outros nomes que possui o açúcar.

Alguns exemplos de alimentos que podemos encontrar alto teor de açúcar seriam os seguintes:

  • Iogurte: sem citar nenhuma marca, podemos garantir que, por exemplo, um iogurte anunciado para crianças, contém, em média, cerca de 16 gramas de açúcar, praticamente o total de açúcar recomendado para um bebê.
  • Biscoitos: muitos pediatras recomendam introduzir de um a três biscoitos por dia. Cada 100 gramas de biscoitos têm 69 gramas de carboidratos, dos quais aproximadamente 24 gramas são açúcares.
  • Leites de fórmula: de acordo com várias análises, os leites de fórmulas contêm entre 28% e 54% de suas calorias totais procedentes do açúcar.
  • Papinhas: muitas papinhas de bebês também têm um excesso de açúcares, que em conjunto com o restante dos alimentos do dia podem fazer com que o nosso bebê esteja consumindo um excesso muito elevado de açúcares diariamente.

Consequências do excesso de açúcar em bebês:

Como mencionamos em várias ocasiões, um excesso de açúcar sempre é negativo para a nossa saúde, tanto no caso dos bebês como dos idosos. A grande vantagem que temos com os bebês é que eles inicialmente não conhecem os sabores dos alimentos, com isso não podem não gostar de algo porque sabe que possui “mau gosto”.

Está nas mãos dos pais gerenciarem os bons hábitos ou criar um vício de açúcar desde a infância. A recomendação por parte dos nutricionistas é de não adicionar açúcar nem sal aos alimentos, pois é muito mais saudável para o bebê que se acostume com o sabor natural dos mesmos.

Se um bebê consome muito açúcar, também o seu consumo calórico total será superior ao que gasta durante o dia, o que provocará que este seja armazenado em forma de gordura e assim o bebê aumentará de peso excessivamente.

Esse descontrole também provoca que o pâncreas tenha que produzir mais insulina para absorver uma pequena quantidade de açúcar no sangue e isso pode causar uma hipoglicemia e inclusive, se não conseguimos controlar, uma diabetes posterior. Além disso, o crescimento da criança pode ser afetado, já que, o excesso de açúcar provoca uma má oxigenação celular e uma má coagulação.

Além disso, cabe destacar que os primeiros anos do nosso bebê, determinarão o número de adipócitos possuirão ao longo da sua vida. Se o nosso bebê engorda em excesso, se produzirá uma hiperplasia dos adipócitos, isso significa que serão geradas mais células com a capacidade de armazenar mais gordura, que nunca mais poderão ser reduzidas ao longo de toda a sua vida.

Algumas recomendações gerais para a saúde do seu bebê:

Em suma, devemos ser cautelosos com a alimentação que fornecemos ao nosso bebê, já que, de nossas decisões iniciais dependerá inteiramente a saúde do nosso bebê durante toda a sua vida.

Devemos tentar construir hábitos saudáveis ​​desde o nascimento, procurando fornecer uma alimentação equilibrada em macro nutrientes e calorias, obtendo os açúcares de fontes mais desejáveis​​, como frutas e verduras, tentando eliminar as fontes de alimentos industrializados com excesso de açúcares.

Todos aqueles que são pais, têm em suas mãos a saúde do seu bebê e suas decisões irão determinar que o bebê cresça com saúde e de forma saudável, tornando mais fácil manter essa saúde ao longo dos anos ou podem gerar obesidade, diabetes e outras doenças derivadas de uma má nutrição. Devemos lembrar que uma criança gorda, não é uma criança saudável (como já se pensou no passado).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

;
Confira Mais Sobre Esse Assuto