Um estudo recente revela a relação entre a obesidade e a asma em crianças.

Seguir a dieta mediterrânea como uma dieta equilibrada e saudável pode ajudar as crianças a controlar esta doença. Esta pesquisa foi realizada pelo Estudo Internacional de Asma e Alergias na Infância (ISAAC).

Os resultados obtidos demonstraram que o aumento no peso corporal leva a criança a desenvolver asma, em paralelo, especialmente na puberdade, um período de rápido crescimento e maturação. O aumento da obesidade é devido a um desequilíbrio entre a ingestão de energia e gasto da mesma, em que a falta de exercício é um ponto chave. Assim, em casos em que haja uma redução do peso naturalmente ocorre uma melhoria no controle da asma em pacientes que sofrem desta doença.

Leia também: “Como Tratar a Asma em Crianças“.

Levando em conta estes resultados, a Sociedade Espanhola de Pneumologia Pediátrica (SENP) considera que é extremamente importante que os pais saibam e estejam conscientes da importância do desenvolvimento físico e mental em crianças precoces. Assim, a prevenção da doença no futuro será mais eficaz, especialmente quando as crianças estão acima do peso, e especificamente tenham asma e sejam sedentárias. Os especialistas explicam que temos de assegurar que a população infantil encontre na comida um aliado para a sua saúde e bem-estar e que ela não está associada a um medo de ganhar peso ou de risco.

Dieta Mediterrânea Combate a Asma na Infância

Uma das melhores ferramentas para combater o excesso de peso é, de acordo com todos os especialistas, a divulgação da dieta mediterrânica entre os jovens. Uma dieta baseada no equilíbrio ideal na ingestão de antioxidantes pela ingestão de alimentos frescos, como legumes, carne, peixe e frutas que ajudam a prevenir doenças como a obesidade e de forma relacionada, ajuda a reduzir a prevalência de asma.

Esta dieta, combinada com exercícios físicos regularmente, acarreta em uma melhoria na qualidade de vida das crianças, especialmente aquelas que têm problemas como a asma. Além da prática do esporte ser essencial para a expansão dos pulmões, é essencial para evitar futuros problemas das vias respiratórias. Atividades físicas prescritas por médicos devem ser viáveis e adaptadas para gostos e desgostos da criança, sem contar as condições socioeconômicas. O exercício desempenha um papel importante no tratamento de asma em crianças, o que permite um melhor controle da doença. No entanto, deve notar-se que o exercício não cura a asma, mas ensina a viver melhor com a doença. Isso não exclui o uso regular da medicação e caso a criança já esteja se sentindo melhor é necessário consultar o médico antes de diminuir a quantidade e frequência da medicação.