O funcionamento dos neurônios está presente em cada segundo da nossa vida. E não apenas quando estudamos ou trabalhamos, também quando nos emocionamos ou entristecemos são os nossos neurônios que realmente decidem a que devemos dar maior importância.

Por isso, para cuidar da nossa estabilidade emocional e melhorar o funcionamento do nosso cérebro, devemos garantir que nossos neurônios estejam bem. E, como sempre, em saúde, a alimentação desempenha um papel fundamental. Portanto, devemos incluir em nossa dieta diária, três alimentos especialmente importantes: peixe azul, azeite de oliva e frutos do bosque. Conheça como atua cada um deles reforçando os neurônios:

Alimentos Que São Benéficos Para os Neurônios

O Peixe Azul

Na dieta mediterrânea é aconselhável consumir peixe azul duas ou três vezes por semana. Você sabia que um motivo importante, falando sobre o cérebro, é devido ao seu teor de ácidos graxos ômega-3, uma gordura que faz parte da membrana que cobre os neurônios e, sem ela, a informação não poderia passar de um para outro, o que causaria perda de memória.

Como já dissemos em ocasiões anteriores, o rei do ômega-3 é o peixe azul de águas frias. Então, por cada 100 gramas de peixe, obtemos o seguinte conteúdo desse ácido graxo: salmão 2,5; sardinhas 2,4; anchovas 1,7; cavala 1,2; arenque 1; atum 0,7.

Nozes

E para aumentar o consumo de ômega-3, não hesite em preparar seus pratos com uma dose extra fornecida pelas nozes. Por exemplo, um salmão com pesto de nozes ou algumas sardinhas cobertas de nozes e salsa.

Você também pode ter uma bolsinha de nozes na gaveta do seu escritório e, no meio da manhã e no meio da tarde, comer um punhado; inclusive quando você se sentir cansado e com sono. O efeito de comer nozes é quase imediato, você se sentirá com muita energia e seu cérebro ficará alerta!

Azeite de Oliva

Outra alimento estrela para o cérebro é o azeite de oliva extra virgem que provém diretamente das azeitonas e com pressão mecânica. Este "ouro líquido" limpa o colesterol das artérias cerebrais, se o oxigênio não chega a elas é porque estão obstruídas por placas de colesterol e, se isso acontecer, não lembraremos as informações recebidas e nos sentiremos perdidos.

A quantidade diária recomendada de azeite de oliva é de três colheres de sopa. O melhor é consumi-lo cru para receber todos os seus benefícios, e é claro, não se preocupe, já que se você não consumir em excesso, não correrá o risco de engordar.

Frutos Silvestres

A vitamina C e o magnésio são dois nutrientes que fornecem a maioria das frutas, estas são essenciais para determinadas reações físicas no cérebro e fazem com que sejam segregadas substâncias que nos permitem nos sentirmos bem (a serotonina, por exemplo).

Além de tudo que mencionamos acima, os frutas silvestres cerejas, mirtilos, amoras, morangos, framboesas, etc.), são a melhor barreira para evitar que o estresse chegue as nossas vidas danificando os neurônios. Essas frutas contêm antioxidantes que protegem o cérebro. Consuma-os em saladas, sucos, batidos e sobremesas feitos em casa.

Leia também: "Neurotransmissores: O que são, Tipos e Efeitos sobre o Organismo".

Alimentos Integrais

A variedade é tão ampla, que não te custará incluir pelo menos um deles em cada refeição: arroz integral, cereais (ideais para o café da manhã ou lanche), sementes, etc.

A razão é que contêm vitamina B, essencial para o bom funcionamento nervoso e, portanto, muito importante para conseguir o equilíbrio emocional que precisa o nosso organismo.

Ovos

Muito tem sido discutido sobre qual é a quantidade máxima de ovos que pode consumir um adulto por dia, estudos recentes falam de um mínimo de quatro e um máximo de sete (de acordo com a idade e a estrutura física).

A verdade é que estes também são ricos em ômega-3, portanto, se não tivermos problemas de sobrepeso ou colesterol, não devemos hesitar em chegar a essa quantidade a cada semana. Também contêm colina (a gema) que nos serve para a concentração e previne doenças degenerativas, como a doença de Alzheimer.

Sementes

Para melhorar a memória e fortalecer os neurônios são recomendadas as de linhaça, girassol, abóbora e gergelim. Mas são, talvez, estas últimas as mais recomendadas por sua alto teor de minerais, especialmente o magnésio. Consuma-as em saladas, pratos orientais ou para marinar frango e peixe.

Lembre-se de que a mente se projeta sobre o corpo, por isso devemos garantir que os nossos neurônios estejam bem alimentados, então não deixe de incluir esses alimentos na sua dieta diária!