Sinais E Sintomas Da Deficiência De Vitamina K

A deficiência de vitamina K é pouco frequente na população em geral, mas é particularmente preocupante em recém-nascidos, que nascem com níveis baixos. A doença hemorrágica do recém-nascido pode afetar crianças que não recebem nenhuma forma de vitamina K ao nascer.

As crianças afetadas tendem a mostrar um prolongamento do tempo de hemorragia, que é excessiva após a circuncisão ou das obtenções de amostras de sangue.

Em casos mais graves, pode haver hemorragias cerebrais. Normalmente, lhes é administrada uma injeção de vitamina K no momento de nascer, embora em ocasiões sejam necessárias doses orais. O principal sinal de deficiência em qualquer idade é a hemorragia e o retardo do crescimento em algumas crianças. Os níveis cronicamente reduzidos de vitamina K se correlacionam com um risco aumentado de fratura dos quadris em mulheres.

Sinais e Sintomas da Deficiência de Vitamina K

Leia também: "A Vitamina K no Nascimento do Bebê".

Fatores de Risco de Deficiência

A deficiência é pouco frequente, mas pode ocorrer em algumas populações, como as que tomam os medicamentos mencionados nas interações, os alcoólatras e as pessoas com doenças do trato gastrointestinal que afetam a absorção. As doenças problemáticas são a doença de Crohn, a diarreia crônica e a colite ulcerativa.

Qualquer fator que afete a absorção das gorduras também corre o risco de diminuir a absorção das vitaminas solúveis em gordura. O uso em longo prazo de antibióticos de amplo espectro destrói as bactérias do trato intestinal que são necessárias para a produção no organismo de vitamina K.

Precauções ao Fazer Suplementação de Vitamina K:

As reações alérgicas aos suplementos de vitamina K são possíveis, embora raras. Os sintomas podem incluir vermelhidão da pele, náuseas, erupção cutânea e coceira. Devemos procurar atendimento médico sempre que ocorra algum destes sintomas.

As crianças que recebem injeções de vitamina K apresentam em ocasiões anemia hemolítica, ou aumento dos valores de bilirrubina, que se apreciam por uma coloração amarelada da pele. É necessário um tratamento urgente nestas crianças, já que é possível a afetação cerebral e hepática.

Alguns problemas hepáticos precisam de um uso muito prudente de algumas formas de vitamina K. O difosfato sódico de menadiol é uma forma sintética que se conhece como vitamina K4 e que pode causar problemas em pessoas com icterícia obstrutiva ou fístula biliar. Uma doença metabólica denominada de deficiência de glicose-6-fosfato desidrogenase também requer prudência no momento de utilizar a vitamina K4.

Leia também: "Vitamina K – Alimentos Ricos e Quais as Nossas Necessidades de Vitamina K".

Efeitos Secundários. Os suplementos de vitamina K4 irritam, por vezes, o trato gastrointestinal. Doses superiores a 500 pg por dia podem causar algumas reações alérgicas, como erupções cutâneas, coceira e ondas de calor.

Interações: Existem numerosos medicamentos que interferem com a absorção adequada ou o funcionamento da vitamina K. O uso em longo prazo de antiácidos pode diminuir a eficácia da vitamina, assim como alguns anticoagulantes.

A varfarina é um anticoagulante antagonista da vitamina K. A eficácia da vitamina também diminui pela dactinomicina e do sucralfato. Sua absorção é reduzida quando tomada com colestiramina e colestipol, que são medicamentos usados para reduzir o colesterol. Outros fármacos que causam uma deficiência, ao ser tomado em longo prazo com óleo mineral, são a quinidina e sulfonamidas. A primaquina aumenta o risco de efeitos colaterais.

Perguntas e Respostas Sobre a Vitamina K:

Por que são aplicadas injeções de vitamina K para alguns recém-nascidos?

A vitamina K é elaborada por bactérias que fazem parte da flora intestinal. Mas o intestino do recém-nascido não contém bactérias e em tal estado permanece durante vários dias, de modo que facilmente poderia sofrer uma deficiência de vitamina K, com a consequente tendência para experimentar hemorragias.

Uma vez que as reservas desta vitamina transmitidas pela mãe ao feto se esgotam rapidamente, e como o leite materno contém em pequena quantidade, os médicos costumam administrar aos recém- nascidos uma preparação de vitamina K, de modo a cobrir as suas necessidades até que o intestino da criança, quando já tem sua flora bacteriana normal, possa elaborá-la.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

;
Confira Mais Sobre Esse Assuto