A vitamina A, retinol ou antixeroftálmica, é uma vitamina solúvel em gorduras, óleos e que não pode ser liberada na urina, como normalmente acontece com as vitaminas hidrossolúveis, e que intervém na formação e manutenção das células epiteliais, no crescimento ósseo, desenvolvimento, proteção e regulação da pele e das mucosas. A vitamina A é um nutriente essencial para os seres humanos. Esta é a definição oficial de vitamina A, agora vamos levá-lo ao nosso terreno, para que serve, benefícios e acima de tudo, em quais alimentos encontramos a vitamina A.

A vitamina A é uma vitamina lipossolúvel, solúvel apenas em corpos gordos, que se encontram de forma natural presente nos alimentos. Para o ser humano é uma vitamina importante para o sistema imunológico, reprodução, lactação, ajuda a melhorar o funcionamento do coração, pulmões, rins, visão.

Vitamina A: O que é, Benefícios e Alimentos Ricos

O que é a Vitamina A:

É também conhecida como retinol, precisamente por gerar pigmentos necessários para o funcionamento da retina, desempenhando um papel importante no desenvolvimento de uma boa visão, especialmente diante da luz baixa. Existem dois tipos diferentes de vitamina A.

  • Pré vitamina A: encontra-se em produtos de origem animal.
  • Provitamina A: encontra-se em alimentos de origem vegetal.

Leia também: "Sucos Com Vitamina A (Betacaroteno): Propriedades e Remédios".

Benefícios da Vitamina A:

Estimula a produção de glóbulos brancos no sangue: para estimular a produção dos glóbulos brancos no sangue, esta beneficia ao sistema imunológico, já que os glóbulos brancos são os responsáveis pela proteção do organismo contra as infecções. Portanto, ao tomar vitamina A, aumenta as defesas protegendo o organismo contra infecções intestinais, urinárias, das vias respiratórias, etc.

Formação de ossos e crescimento do tecido ósseo: ajuda a manter saudáveis os ossos, desempenha um papel importante na remodelação dos ossos, intervindo no processo pelo qual o tecido ósseo maduro se renova do esqueleto e é substituído por novo tecido ósseo. Por isso, podemos dizer que a vitamina A ajuda a formação e manutenção de dentes e de tecidos moles e ósseos.

Vitamina A como antioxidante: a vitamina A é um excelente antioxidante, por isso ajuda a prevenir o envelhecimento prematuro ao bloquear o excesso de radicais livres que danificam as células.

Em relação à pele, já é conhecido por todos, o seu poder de hidratação e de atraso do envelhecimento, sem esquecer que é uma grande ajuda na luta contra as doenças da pele, como a acne. O retinol ajuda a reduzir as linhas e as rugas na pele, já que aumenta a produção de colágeno, responsável por manter a pele jovem.

Melhora a visão: a vitamina A nos ajuda a ter uma melhor visão, nos permite ver em condições desfavoráveis de luz, mas também ajuda a prevenir alguns transtornos oculares. Muitos dos transtornos oculares que sofrem os adultos tem suas causas em uma deficiência de vitamina A. A vitamina A, é indicada para prevenir doenças oculares, como cegueira noturna, catarata e glaucoma.

No sistema reprodutivo: participa na função normal de reprodução, contribuindo para a produção de esperma, assim como com o ciclo normal reprodutivo feminino. Devido ao seu papel essencial no crescimento celular, a vitamina A ajuda para que as mudanças que ocorrem nas células e tecidos durante o desenvolvimento do feto ocorram normalmente.

Alimentos Ricos em Vitamina A:

A vitamina A se encontra, de forma natural, presente em muitos alimentos, alguns deles enriquecidos com vitamina A, como são o leite e os cereais. Para obter as quantidades recomendadas de vitamina A, é preciso consumir alimentos variados, tais como:

  • Ovos (de galinha).
  • Batata doce e inhame.
  • Fígado de vaca e outros órgãos (embora estes alimentos também tenham alto teor de colesterol, por isso você deverá limitar a quantidade consumida).
  • Certos tipos de peixe e marisco, como salmão, peixe espada, caviar, mariscos, óleo de fígado de bacalhau.
  • Hortaliças de folhas verdes e outras verduras de cor verde, alaranjado e amarelo, como brócolis, cenoura e abobrinha, espinafre, agrião, endívias, tomates.
  • Frutas, como melão, damascos, caquis e mangas.
  • Os produtos lácteos, que são as principais fontes de vitamina A, como queijo gordo, manteiga, margarina, nata, leite desnatado, semi-desnatado e integral, também é possível encontrar naqueles alimentos leitosos; o requeijão, purê de batatas, tortas.
  • Cereais matinais fortificados.
  • Carnes: carne de porco, fígado, boi, vaca, cavalo, pato, ganso, peixe, frango, peru, coelho, entre outras.

Vitamina a Indicada para Tratar Doenças:

Estas são algumas das doenças onde o uso de vitamina A, podem ser indicado:

  • Doenças respiratórias: asma, bronquite, bronquiectasias, resfriado, pneumonia, pleurisia, gripes, rinite, sinusite, tuberculose.
  • Dermatologia: acne, alopécia, , dermatite, eczema, psoríase, ressecamento da pele, seborreia.
  • Estomatologia: cárie dentária, alterações na dentição e seu esmalte.
  • Oftalmologia: cansaço ocular, catarata, cegueira crepuscular, degeneração macular, descolamento da retina, glaucoma.
  • Sistema imunológico: doenças degenerativas, infecções, gripe.
  • Sistema reprodutor: infertilidade masculina e feminina, desenvolvimento fetal.
  • Traumatologia/Reumatologia: artrite, artrose, espondilite anquilosante, osteoporose, poliartrite reumatoide, raquitismo, reumatismo, sinovite tóxica.
  • Alterações das unhas: manchas, unhas fracas e quebradiças.

Consequência da Falta de Vitamina A:

A falta de vitamina A, traz unidas diversas consequências entre as quais se destacam:

Alterações oculares: seu déficit pode causar cegueira crepuscular, ou seja, reduz a acuidade visual no crepúsculo, sensibilidade extrema à luz, assim como ressecamento, opacidade da córnea com a presença de úlceras, chamado xeroftalmia, a qual pode conduzir à cegueira.

Imunidade reduzida (defesas baixas): aumenta a susceptibilidade a infecções bacterianas, parasitárias ou virais, já que a vitamina A contribui para a manutenção da integridade das mucosas. Ao carecer dela desaparece a barreira contra as infecções. As células do sistema imunológico também são afetadas, o que pode levar a um aumento das células pré cancerígenas dos tecidos epiteliais da boca, garganta e pulmões.

Alterações ósseas: seu déficit inibe o crescimento, podendo dar lugar a malformações ósseas e aumentando a probabilidade de sofrer doenças em articulações, devido ao fato de que impede a regeneração óssea. Esta situação também se estende para a dentição podendo ser observada no seu desenvolvimento.

Alterações cutâneas: sua falta provoca uma hiperqueratinização, ou seja, a pele se torna áspera, seca, com escamas (pele de galinha, pele de sapo), o cabelo se torna quebradiço e seco, assim como as unhas.

Outros: cansaço geral e perda de apetite, perda de peso, alteração da audição, paladar e olfato, distúrbios reprodutivos, diarreia, perda de vitamina C e pedras nos rins.

Leia também: "Vitamina A (Retinol): O Que Você Deve Saber".

Efeitos Colaterais pelo Excesso de Vitamina A:

Hipervitaminose A: chama-se hipervitaminose A, quando você tem muita vitamina A no organismo. Existem dois tipos de hipervitaminose:

  • Aguda: o nível de vitamina A no organismo aumenta de repente, em um curto período de tempo.
  • Crônica: quando existe muita vitamina A presente no organismo por um período de tempo mais prolongado.

Os sintomas que podem nos fazer suspeitar de sofrer de hipervitaminose A:

  • Amolecimento anormal do osso do crânio (craniotabes, em bebês e crianças), fontanela proeminente (o ponto macio no crânio de um bebê).
  • Visão turva, visão dupla (em crianças pequenas), alterações na visão.
  • Dor óssea ou inchaço.
  • Mudanças no estado de consciência, sonolência.
  • Diminuição do apetite, náuseas, tonturas, dor de cabeça, irritabilidade, vômitos.
  • Mudanças no cabelo, como perda de cabelo e cabelos oleosos.
  • Aumento da pressão intracraniana.
  • Dano hepático.
  • Pouco ganho de peso (bebês e crianças).
  • Mudanças na pele, como rachaduras nos cantos da boca, sensibilidade maior à luz solar, pele oleosa, descamação, coceira e coloração amarelada da pele.