A vitamina A é uma vitamina solúvel em gordura essencial para o organismo humano, pois colabora na formação e manutenção dos ossos, da pele e de uma boa visão. Sua deficiência pode causar cegueira, mas, em excesso, pode ser tóxica. Aqui te explicamos para que serve.

Também conhecida como retinol, devido ao fato de que gera pigmentos necessários para o funcionamento da retina, a vitamina A se encontra na alimentação em duas formas:

A vitamina A pré-formada, que pode ser obtida a partir de produtos de origem animal, como peixes, carnes, aves de capoeira e produtos lácteos.

A pró-vitamina A, presente em alimentos de origem vegetal, como algumas frutas e verduras. O tipo mais comum desta é o betacaroteno.

Igualmente, a vitamina A está disponível em suplementos, geralmente sob a forma de acetato de retinol ou palmitato de retinol (vitamina A pré-formada), betacaroteno (pró-vitamina A) ou uma combinação de vitamina A pré-formada e pró-vitamina.

A quantidade de vitamina A, que se deve consumir diariamente depende da idade e do sexo. Outros fatores, como a gravidez e a saúde, também são importantes. Consulte o seu médico sobre qual é a dose adequada para você. Uma dieta saudável e equilibrada pode te proporcionar a vitamina A que seu corpo precisa.

Onde Posso Encontrar a Vitamina A?

A vitamina A se encontra em ovos, carnes, produtos lácteos, fígado, alimentos fortificados e óleo de fígado de bacalhau, mas você deve levar em conta que estas fontes podem chegar a ter um alto teor de colesterol e gordura saturada.

O betacaroteno tem como fontes as frutas de cor laranja e amarelo como: melão, toranja e pêssego, cenoura, batata doce (inhame), abóbora, brócolis, espinafre e a maioria dos vegetais de folhas verdes. Quanto mais intensa a cor da fruta ou vegetal, maior o teor de betacaroteno. Estas fontes vegetais de betacaroteno não têm gordura nem colesterol.

A melhor maneira de obter as necessidades diárias de vitaminas essenciais é consumir uma variedade de frutas, verduras, produtos lácteos e enriquecidos, legumes e grãos integrais.

Para Que Serve a Vitamina A?

Foram comprovadas várias funções nos seres humanos e nos animais. Sua eficácia e segurança não tinham sido comprovadas em todos os casos. Algumas dessas condições são graves e sempre devem ser avaliados por um profissional de saúde qualificado, lembre-se.

É comumente utilizada para ajudar na formação e na manutenção dos dentes, membranas mucosas, tecidos moles e ósseos, assim como para favorecer a boa visão e uma pele saudável.

No entanto, esta vitamina e seus derivados são também utilizados para tratar outras condições:

Começando com deficiência de vitamina A que acontece em pessoas que não a recebem de uma forma crônica e prolongada. Por exemplo, pessoas desnutridas, crianças, idosos ou aqueles que são doentes crônicos. Os sintomas incluem as manchas de Bitot ou acúmulo de queratina na conjuntiva do olho (que se vê com mais frequência em crianças), que são um sinal de xeroftalmia ou ressecamento ocular; cegueira noturna ou dificuldade para enxergar no escuro, ressecamento da pele e do cabelo; coceira; em casos graves, pode haver perfuração da córnea.

Algumas evidências científicas demonstram que os derivados de vitamina A (retinoides) são eficientes para tratar transtornos da pele, como acne. Se você está grávida não deve usar a isotretinoína para tratar a acne, já que existe o risco de causar defeitos congênitos (defeitos de nascimento no bebê).

Outro derivado da vitamina A, o ácido all-trans-retinoico, tem demonstrado ser um bom tratamento para a leucemia promielocítica aguda e melhora a média proporcional de sobrevivência desta doença. Deve ser administrado sob rigorosa supervisão médica.

Nas crianças que têm deficiência de vitamina A, os suplementos ajudam a reduzir a gravidade e as complicações do sarampo. Sua administração deve ser prescrita por um médico.

Enquanto a evidência científica sugere que a vitamina A poderia ajudar no tratamento de malária e da retinite pigmentosa (retinite pigmentária), os resultados dos estudos são mistos em relação ao seu efeito em: câncer de mama, prevenção de cataratas, tratamento do HIV, função imunológica, câncer de pâncreas, prevenção do câncer de pele, de pulmão e de estômago, conjuntivite, artrite, eczema, diabetes e transtornos respiratórios.

Precauções: Nas doses recomendadas, a vitamina A é segura. Os adultos que consomem alimentos fortificados com vitamina A, como produtos lácteos desnatados ou com baixo teor de gordura, e uma boa quantidade de frutas e vegetais, não precisam de suplementos desta vitamina.

Os suplementos de vitamina A não devem ser usados simultaneamente, já que pode existir um risco de toxicidade. Por isso, mais não é melhor.

As pessoas com doença hepática (do fígado) e que consomem altos níveis de álcool, podem chegar a desenvolver intoxicação do fígado por consumo de suplementos de vitamina A.

Os sintomas de excesso de vitamina A incluem cansaço, dor de cabeça, dores musculares e dores nas articulações, ressecamento da pele e dos lábios, ressecamento e vermelhidão dos olhos, deposição de gordura no fígado, náuseas ou diarreia e perda de cabelo, entre outros. Isso acontece ao se consumir suplementos, não de consumi-la em alimentos. As pessoas com má absorção de gordura, que sofrem de infecções intestinais ou triglicérides elevados não devem tomar vitamina A em suplementos.

Como não foi estabelecido o risco da vitamina A para bebês que estão sendo amamentados e esta se excreta no leite materno, e seu excesso causa defeitos de nascimento, recomenda-se que as mães sejam cautelosas com os suplementos.

Quando se consome betacaroteno em quantidades excessivas muda a cor da pele para amarelo ou laranja. Deve ser evitada se você tem hipersensibilidade ou alergia a esta vitamina.

A falta de vitamina A pode te tornar propenso a problemas de visão, ressecamento ocular, doenças de pele e contrair doenças infecciosas.

Interações: Se estiver tomando contraceptivos orais, deve usá-la com cautela, pois estes podem chegar a aumentar os níveis dessa vitamina.

Evite a combinação da vitamina A, com tetraciclinas e medicamentos ou agentes tóxicos para o fígado, já que aumentam o risco de efeitos tóxicos.

Interage com muitos outros medicamentos que utilizam um sistema de enzimas no fígado chamado citocromo P450. O seu médico pode te ajudar para garantir que é seguro para você.

A vitamina A pode aumentar o risco de hemorragia, quando tomada com aspirina, anticoagulantes, anti-inflamatórios não esteroides (como ibuprofeno, etc.) e ginkgo biloba. A vitamina A e o betacaroteno também podem aumentar triglicérides no sangue o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares.

Como acontece com qualquer erva, suplemento ou vitamina que você toma, embora seja vendido sem receita médica, consulte os eu médico antes de começar, para garantir que precisa, se a dose é adequada e verifique regularmente com ele ou ela.