10 Dicas Para Uma Vida Melhor Com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (Dpoc)

Respirar é vital para a vida de todos e de cada um dos tecidos e órgãos do corpo humano. Quando estamos em repouso, respirar de 12 a 16 vezes por minuto, mas a maior parte do tempo, especialmente se não existe dificuldade em respirar, nem notamos. No entanto, se sentirmos falta de ar, respirar provoca uma sensação de peso, incômodo e até mesmo desespero. Milhões de pessoas no mundo vivem com uma dificuldade permanente para respirar, o que se conhece como Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). No mês da conscientização desta condição, queremos ajudar aqueles que sofrem oferecendo dicas para aliviá-la e melhorar a qualidade de vida.

Respirar fundo e profundamente, expirar todo o ar dos pulmões sem tossir ou sem chiado é um luxo que não podem se dar os pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), uma condição que afeta os pulmões e, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, causa a morte de uma pessoa a cada 10 segundos. Se nada for feito para evitá-la - como deixar de fumar, por exemplo, essas mortes desnecessárias aumentarão em 30% ao longo dos próximos 30 anos, fazendo com que se converta na terceira maior causa de morte em todo o mundo até 2030.

Sob o termo DPOC se agrupam várias doenças pulmonares crônicas que reduzem o fluxo de ar que entra no corpo ao respirar, como o enfisema (no qual o tecido do pulmão é destruído ao longo do tempo), ou a bronquite crônica (que produz a inflamação dos brônquios e uma tosse com fleuma e expectoração). Ambas as condições podem ocorrer separadamente, mas é muito comum que os pacientes tenham as duas de uma só vez.

10 Dicas Para Uma Vida Melhor Com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

Se você sofre de DPOC, não deve ficar de braços cruzados esperando que a doença avance. Você pode tomar uma série de medidas que melhoram a sua capacidade para respirar e, portanto, sua qualidade de vida.

Dicas Para Uma Vida Melhor Com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica

1. O mais importante é: deixar o tabaco. O hábito de fumar é a principal causa da DPOC. Estima-se que mais de 80% dos casos está vinculado a antecedente de tabagismo durante vários anos (o restante dos casos se deve a exposição em longo prazo à poluição do ar, gases tóxicos, vapores químicos, poeira ou ter sofrido várias infecções respiratórias na infância, entre outras causas). Se você ainda fuma, inclusive quando reduziu ao mínimo, deixe imediatamente para que seus pulmões comecem a se recuperar o quanto antes. Você pode pedir a ajuda doe seu médico e da sua família. Este é o passo mais definitivo e o que fará a diferença no seu bem-estar no futuro. No ano em que deixar de fumar, os testes de função pulmonar estarão melhores.

2. Evite o fumo passivo. Embora você tenha deixado de fumar a muitos anos, se você sofre de DPOC, este continua a ser um dos principais irritantes dos pulmões (e outra das causas da DPOC). Se existe alguém fumando em seu ambiente e é um local público, afaste-se. E em sua casa (ou carro) proíba que acendam um cigarro, por mais inofensivo que pareça, não são. Desta forma, você estará protegendo sua saúde e a de seus entes queridos.

3. Siga o tratamento prescrito pelo médico, incluindo os medicamentos de controle, bronco dilatadores, relaxantes musculares e/ou medicamentos do tipo de corticosteroides para reduzir a inflamação e as exacerbações repentinas. Seja constante com o seu programa de reabilitação pulmonar física, ou seja, aqueles exercícios indicados para melhorar a sua capacidade respiratória e, assim, a de oxigenar o seu corpo. Quanto mais oxigênio você receber, mais energia terá para poder realizar suas atividades diárias.

4. Beba muita água diariamente. Pelo menos tente beber um litro e meio de água ou de líquidos por dia. Isso ajuda a reduzir a viscosidade das secreções nos pulmões, eliminá-las mais facilmente e, portanto, respirar melhor.

5. Leve uma dieta saudável. Manter um peso saudável ou perder o excesso de peso fará com que o seu organismo funcione melhor. Por exemplo, evite os alimentos abundantes ou cheios de gordura. Reduza o consumo de carnes processadas. Um estudo de 2012 divulgado pela Fundação Europeia do Pulmão revelou que os nitratos utilizados na preservação das carnes curadas produzem uma substância que pode danificar o tecido pulmonar. Se os pacientes com DPOC consomem este tipo de carne frequentemente pioram os sintomas da condição e aumentam os riscos de necessitar de hospitalização.

6. Não se exponha as emanações fortes de produtos de limpeza ou de gases provenientes da cozinha. Se alguém realiza a limpeza da casa, saia de casa ou vá para um quarto no qual não chegue nenhuma poeira nem os cheiros. Da mesma forma, se o ar no exterior está poluído com fumaça, ou existe uma construção próxima, evite sair ao ar livre ou use uma máscara protetora.

7. Faça exercício sempre que puder. Embora você pense que a última coisa que poderia melhorar a sua falta de ar é o exercício, está errado. Os pacientes com DPOC de acordo com o grau do seu estado são encorajados a se manterem ativos: caminhada, ciclismo ou qualquer outro tipo de atividade aeróbica ajudam a aumentar a capacidade pulmonar. Um estudo divulgado no início deste ano e publicado na revista Respirology, indica que as caminhadas diárias de duas milhas (equivalente a 3,21 quilômetros), pelo menos, reduzem a necessidade de hospitalização por crises respiratórias graves em pacientes com DPOC. Por que não tentar praticar um pouco de yoga? Um grupo de pesquisadores do Instituto All India de Ciências Médicas, em Nova Deli, descobriu que as pessoas com DPOC podem diminuir os seus sintomas se praticarem yoga de forma regular.

8. Reduza a poeira em sua casa. Como medidas preventivas, certifique-se de mandar limpar com frequência os dutos de aquecimento ou de ar condicionado que tendem a acumular poeira, assim como os carpetes. O ideal é instalar outro tipo de piso, como azulejo ou madeira, mas se isso não for feito, é preciso aspirar com frequência os carpetes (outra pessoa, não você).

9. Mude os chuveiros. Estes podem alojar certas microbactérias, inofensivas para as pessoas saudáveis, mas que podem causar infecções, tosse e falta de ar nos pacientes com DPOC. Costumam ser resistentes aos antibióticos, de modo que a melhor maneira de mantê-las sob controle é limpar ou substituir o chuveiro, pelo menos, duas vezes por ano.

10. Cuidado com os produtos de higiene pessoal. Sabonetes, xampus, desodorantes, sprays de cabelo e cosméticos perfumados poderiam causar falta de ar. É preferível que você compre as versões sem perfume e evite os perfumes e as colônias de cheiro muito intenso.

A DPOC é uma doença crônica, mas você pode melhorar os sintomas e impedir o seu avanço, se tomar essas medidas e qualquer outro conselho que dado pelo seu médico. Não hesite em chamá-lo (a) se os seus sintomas piorarem, para que você possa respirar com a menor dificuldade possível.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

;
Confira Mais Sobre Esse Assuto