"A fibrilação atrial consiste em batimentos cardíacos totalmente irregulares, contração atrial meio desordenada das fibras do músculo cardíaco. Existem diversas causas e pode apresentar sintomas ou não. O ritmo normal do coração pode ser restaurado com electrocardiografia em 50% dos casos, mesmo que a fibrilação seja de longa duração, normalmente reaparece. Nos outros 50%, alguns sintomas podem ser controlados com medicação."

O que é fibrilação atrial?

Batimentos cardíacos totalmente irregulares.
Contração atrial meio desordenada das fibras do músculo cardíaco.
Ela ocorre nos átrios, câmaras de recepção de sangue para o coração, geralmente para dilatar.

Subsequentes os adultos, sem preferência por sexo.

Causas

Qualquer uma que dilatar os átrios, ou danificar o tecido de condução, tais como:

A doença cardíaca causada por febre reumática.

Aterosclerose, com ou sem infarto anterior.

Hipertireoidismo.

Insuficiência cardíaca congestiva.

Sintomas

Às vezes não apresenta sintomas.
Batimentos cardíacos irregulares contínuo que bate não tem a mesma força e duração.
Fraqueza, tonturas ou desmaios (por vezes).

Fatores de risco

Estresse.
Válvula de doenças cardíacas.
Cirurgia cardíaca recente.
Distúrbios dos eletrólitos, especialmente de baixo nível de potássio.
Embolia pulmonar.
O uso excessivo de algumas drogas, tais como os hormônios tireoidianos, a cafeína e outros.
Tabagismo.
O consumo excessivo de álcool.
Obesidade.

Prevenção

Evitar fatores de risco para aterosclerose e doença arterial coronariana.
Siga cuidadosamente o tratamento para a doença cardíaca que é prescrito.

Diagnóstico e tratamento

Diagnóstico:

História e exame físico por um médico.
Eletrocardiografia.
Os exames de sangue para determinar os níveis de drogas usadas no tratamento.

Tratamento:
O tratamento médico.
Internação hospitalar (às vezes).
Eletrochoque, electrocardiograma para tentar restaurar o ritmo normal do coração.

Medidas gerais:
Pergunte a família e amigos para aprender técnicas de CPR em caso de você ter uma insuficiência cardíaca.
Não fumar, usar drogas ou que alteram a mente, não beber mais de 1 ou 2 bebidas por dia.
Aprenda a tomar o pulso (batimentos por minuto) e verificar a sua regularidade.
Chame seu médico se houver qualquer alteração.
Reduzir o estresse.

Medicação:
Seu médico pode prescrever:
Medicamentos para o coração, tais como: digital, quinidina, bloqueadores dos canais de cálcio ou bloqueadores beta-adrenérgicos para regular os batimentos cardíacos.
Os agentes antiplaquetários ou anticoagulantes para prevenir coágulos sanguíneos.

Atividade:
Retorno às atividades normais logo que os sintomas melhorarem.
Consulte o seu médico antes de retomar as relações sexuais.

Dieta:
Se você é obeso deve perder peso, mas não use inibidores de apetite, pode piorar os distúrbios do ritmo cardíaco.
A doença cardíaca coronariana primária pode precisar de uma dieta pobre em sal de gordura, e os suplementos de potássio.

Informe o seu médico se o seguinte ocorrer durante o tratamento:
Alterações no ritmo cardíaco e da força.
Dor no peito, suores e fraqueza.
Falta de ar ou inchaço dos pés e tornozelos.
Dor nas panturrilhas ao caminhar.
Novos sintomas inexplicáveis se desenvolveram. As drogas usadas no tratamento podem produzir efeitos colaterais.

Possíveis complicações

Edema pulmonar agudo.
Arterial trombose ou embolia.
Insuficiência cardíaca congestiva.
Parada cardíaca.

Prognóstico

O ritmo normal do coração pode ser restaurado com electrocardiografia em 50% dos casos, mesmo que a fibrilação seja de longa duração, normalmente reaparece.
Nos outros 50%, alguns sintomas podem ser controlados com medicação.
Pacientes que restauram o ritmo normal do coração aderiram maior esperança de vida, mais força e energia que aqueles que sofrem de fibrilação atrial permanente.