A gravidade dos sintomas da fibromialgia varia de pessoa para pessoa, e muitas vezes, os sintomas desaparecem e, em seguida, retornam. A fibromialgia é caracterizada por dor prolongada e generalizada nos músculos e tecidos conectivos, sem qualquer causa específica.

Uma pesquisa mostrou que a fibromialgia pode realmente amplificar a dor, afetando a forma como o cérebro processa os sinais de dor. Além da dor, os sintomas comuns da fibromialgia incluem:

  • Fadiga.
  • Dores de cabeça.
  • Problemas de memória.
  • Distúrbios do sono.
  • Cãibras na parte inferior do abdômen.
  • Depressão.
  • Ansiedade.

Dentre os distúrbios do sono são comuns a apneia do sono e síndrome das pernas inquietas. Não dormir o suficiente contribui para diminuir o funcionamento cognitivo, depressão e ansiedade.

Além disso, alguns pacientes experimentam rigidez matinal, dormência ou formigamento nas extremidades, bem como uma maior sensibilidade a ruídos altos, luzes brilhantes e temperatura. Alguns pacientes também experimentam fibromialgia com outras condições coexistentes, incluindo disfunção da articulação temporomandibular, endometriose, síndrome da fadiga crônica e síndrome do intestino irritável.

Alimentos Que Não Podem Faltar em Uma Dieta Para Fibromialgia

Leia também: “Ervas Que Aliviam os Sintomas da Fibromialgia“.

Alimentos Para Incluir em Uma Dieta Para Fibromialgia:

Muitos pacientes com fibromialgia têm deficiências nutricionais, incluindo vitaminas B12, C e D, bem como ácido fólico e magnésio. O objetivo é reduzir a inflamação e reconstruir as defesas naturais do corpo. Simplificando, isso exige uma mudança na dieta, uma mudança radical para algumas pessoas.

Alimentos ricos em magnésio. Inclua lotes de vegetais de folhas verdes, sementes de abóbora, iogurte ou kefir, amêndoas e abacates em sua dieta para aumentar os níveis de magnésio. Consuma no mínimo três porções por dia destes alimentos para ajudar a aliviar a dor e o desconforto associado com a fibromialgia.

Alimentos ricos em melatonina. Como os distúrbios do sono são comuns entre os sintomas da fibromialgia, é recomendada a melatonina, o hormônio do sono. Os suplementos de melatonina são considerados geralmente seguros, mas podem interagir com certos medicamentos, incluindo imunossupressores, pílulas anticoncepcionais, anticoagulantes e prescrições diabéticas. Veja mais em “Melatonina: O Que É, Propriedades e Benefícios“.

Felizmente, existem muitos alimentos que você pode comer para obter a melatonina que precisa! Os alimentos ricos em melatonina incluem os seguintes: cerejas, nozes, semente de mostarda, arroz, gengibre, aspargos, tomates e bananas.

Estudos mostram que as deficiências de zinco, magnésio e ácido fólico estão ligadas com menores níveis de melatonina. Por isso, é essencial em uma dieta para fibromialgia comer alimentos ricos em nutrientes essenciais.

Alimentos ricos em triptofano. O triptofano é necessário ao organismo para produzir serotonina, que está associada ao sono repousante. Alimentos saudáveis ​​com altos níveis de triptofano, incluem: nozes, leite, peixe, frango, grãos germinados e sementes de gergelim.

Óleo de coco. Substitua todas as gorduras insalubres com óleo de coco. Incorporar de três a quatro colheres de sopa por dia em sua dieta pode ajudar a reduzir a dor articular, equilibrar hormônios, melhorar a memória e função do cérebro em geral.

Peixe selvagem. Salmão e atum são excelentes fontes de ácidos graxos ômega-3 e outras vitaminas e minerais essenciais. Para as pessoas com fibromialgia e outras condições reumáticas, o peixe e o óleo de peixe são essenciais. Na verdade, os suplementos de ômega-3 podem reduzir a rigidez, dor nas articulações, diminuir a depressão e melhorar as habilidades mentais.

Cúrcuma. Adicione essa especiaria em suas receitas favoritas. A curcumina é o ingrediente ativo famoso por seus efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios, o que contribui muito para tratar os sintomas da fibromialgia.

Gengibre. Esta especiaria anti-inflamatória é comprovada para ajuda a aliviar a dor causada pela fibromialgia. Em um estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, os pesquisadores descobriram que os participantes do estudo, que sofriam de fibromialgia, que receberam gengibre experimentaram uma maior redução nas dores do que aqueles que receberam Paracetamol.