O Alzheimer é uma demência progressiva que tem o déficit de memória como um dos seus sintomas mais precoces e pronunciados. Normalmente, o paciente piora progressivamente, mostrando problemas de percepção, de linguagem e emocionais à medida que a doença avança.

A nível neuronal, a doença está associada com o desenvolvimento de placas e emaranhados de fibras que vão cobrindo o cérebro.

50% das pessoas acima de 65 anos dementes sofrem de Alzheimer.

Estágios da doença de Alzheimer

Estágio 0: Caracterizado pela dependência no trabalho, compras, finanças e atividade social.

Estágio 1: Surgimento de negligência moderada e dificuldade para encontrar palavras, além de: perda de objetos, esquecimento dos nomes de familiares, frequência do fenômeno “ter na ponta da língua” e perda de percepção espacial expressada em não saber voltar para casa.

Estágio 2: frequentes e graves queixas de perda de memória e linguagem, incapacidade de funcionar de forma independente fora de casa. Começam a necessitar de ajuda para higiene, vestuário e alimentação.

Estágio 3: Deixam de reconhecer o seu parceiro, filhos e até mesmo o seu próprio reflexo no espelho. Começam a sofrer de mutismo ou balbuciar incoerente. Apresentam alucinações, delírios, comportamento excêntrico, como armazenar de tudo. Também começam a ter convulsões, incontinência e reflexos infantis.

Infelizmente essa condição ainda não possui uma cura, mas é possível amenizar os sintomas com tratamentos e cuidados especiais.