A esquizofrenia é uma doença mental crônica que afeta, basicamente, o comportamento das pessoas. Os sintomas são muito diversos e variados. Aqui te contamos como detectar se um parente ou amigo tem esquizofrenia.

A esquizofrenia é uma doença mental crônica que afeta a capacidade da pessoa de pensar com clareza, de controlar suas emoções, agir de forma coerente, tomar decisões, perceber a realidade e interagir com seu meio ambiente e com os demais.

Em outro artigo de Saúde Dicas já te contamos do que se trata esta doença que interfere com o funcionamento normal de uma pessoa no trabalho, na escola e, é claro, em suas relações interpessoais.

Mas quais são os sintomas da esquizofrenia? Se você conhece alguém que está agindo de forma estranha ou acredita que possa ter algum transtorno mental, você pode estar se perguntando como dizer se sofre ou não de esquizofrenia.

Primeiro de tudo, é preciso levar em conta que os sintomas costumam se apresentar tipicamente a partir da adolescência nos homens e a partir dos 20 anos em mulheres, e em cada pessoa a se apresenta de forma diferente.

Além disso, os sintomas da esquizofrenia podem ocorrer lentamente ao longo do tempo ou, de repente, de um momento para outro. Também podem aparecer e desaparecer, por momentos.

Como Detectar Se Um Ente Querido Sofre de Esquizofrenia

De acordo com os sintomas que tiver a pessoa será o tipo de esquizofrenia que terá. De um modo geral, os sintomas da esquizofrenia podem ser:

1. Positivos: são aqueles que refletem questões “agregadas” a personalidade. Por exemplo:

  • Ilusões ou falsas ideias, como se alguém estivesse espionando ou que eles são famosos ou deuses. Também tendem a se preocupar muito com as questões religiosas ou espirituais ou pensam que são especiais ou escolhidos.
  • Alucinações. O mais comum é ouvir vozes imaginárias que lhes dão comandos ou fazem comentários, mas também podem sentir o cheiro de aromas inexistentes, ter gostos estranhos na boca e sentir sensações na pele, embora nada nem ninguém, o esteja tocando.

2. Negativos: refletem “ausência” de características de personalidade. Por exemplo:

  • Não mostram reações emocionais nem expressam seus sentimentos, como rir de uma piada (e inclusive chorar ao invés de rir) ou se angustiar diante de uma má notícia.
  • Têm altos e baixos emocionais: estão muito contentes ou muito tristes.
  • Se sentem desmotivados e nada lhes interessa.
  • Não podem planejar ou realizar suas atividades nem tomar decisões próprias.
  • Deixam de tomar banho e se higienizar.
  • Se isolam e evitam situações sociais.
  • Permanecem como congelados, na mesma posição durante muito tempo (isso se conhece como estado catatônico).

Leia também: “O Que é Esquizofrenia e Quais Tipos de Esquizofrenia Existe?“.

3. Cognitivos: relacionados com o pensamento e a capacidade de pensar e se expressar. Por exemplo:

  • Dificuldade para falar e pensar: é difícil ordenar o discurso (o que vão dizer), misturam as palavras ou mudam de um assunto para outro, sem significado. Inclusive podem inventar suas próprias palavras e sons. Também podem escrever ou falar muito, mas de maneira incoerente.
  • Problemas de comportamento que podem se manifestar de maneiras diferentes, desde fazer coisas infantis (de criança) até se agitar de forma imprevisível.
  • Têm dificuldade em prestar atenção, se concentrar e se lembrar das coisas. Inclusive se esquecem de ou perdem objetos constantemente.
  • Se movimentam lentamente e repetem movimentos ou gestos, como caminhar em círculos.
  • Têm problemas para dormir.

Em geral, as pessoas com esquizofrenia se comportam de forma estranha, fazendo com que os outros os evitem, o que aumenta o seu isolamento.

É difícil conviver com alguém que sofre com esta doença, mas é preciso saber que pode ser tratada e melhorar. Se você conhece alguém com esquizofrenia é extremamente importante para ele/ela que obtenha ajuda e tentar integrá-lo em suas atividades diárias.

Se você acredita que um membro da família ou amigo pode estar sofrendo com esta doença ou mostra sintomas de esquizofrenia, comente sua preocupação e o encoraje a procurar ajuda profissional o mais rapidamente possível. O ideal é consultar um psiquiatra especializado ou com experiência em pacientes com esquizofrenia.

Enquanto a esquizofrenia não tem cura, lembre-o que pode ser tratada. Com o tratamento, muitas pessoas conseguem manter os sintomas controlados e melhorar a sua qualidade de vida.