À intolerância ao exercício é um sintoma comum entre as pessoas que sofrem de doença cardíaca, doença mitocondrial ou distúrbios metabólicos. Em tais casos, a conversão normal dos alimentos ou oxigênio em energia é interrompida, deixando o paciente sem o fornecimento adequado.

Os graus de intolerância ao exercício podem variar: podem se apresentar após o menor esforço ou exigem um esforço mais sustentado para ser reconhecido, e pode afetar a vítima durante ou após o exercício, como fadiga, cãibras musculares, depressão, ritmo cardíaco insuficiente, alterações na pressão arterial e cianose.

Se os distúrbios da tireoide são a causa de extrema fadiga após o exercício, os médicos geralmente prescrevem medicamentos para regular a glândula tireoide e podem recomendar uma dieta especial para as pessoas com extrema fadiga causada por alterações musculares metabólicas.

Além disso, em alguns casos, os médicos podem prescrever antidepressivos ou multivitaminas, para tratar a fadiga causada ou agravada por depressão ou má nutrição.

Beber água ou uma bebida esportiva durante e após o exercício pode prevenir a fadiga causada pela desidratação.

Durante os meses mais quentes do ano, considere realizar o exercício em uma área com ar condicionado ou nas primeiras horas da manhã, quando é mais frio do lado de fora.

Como Tratar a Intolerância ao Exercício

Para aumentar a resistência, aumente gradualmente à duração e a frequência das sessões de treinamento, tal como foi recomendado pelo médico, e considere realizar um exercício leve como caminhada, em vez de começar com uma rotina vigorosa, que pode amplificar a fadiga.

A fadiga durante e após a corrida pode indicar uma deficiência de calorias ou de algumas vitaminas ou minerais. Como um corredor, sua dieta deve consistir de 50% a 70% de carboidratos, 20% a 30% de gorduras e 10% a 20% de proteínas.

Você deve consumir uma variedade de alimentos que possam te ajudar a ingerir as quantidades adequadas de vitaminas e minerais, como vitamina B12, B6 e ferro.

As vitaminas B são necessárias para o metabolismo de energia, das células vermelhas do sangue e da saúde dos nervos, enquanto que o ferro é utilizado para transportar oxigênio para os tecidos musculares.