Diabetes Gestacional: Pode Permanecer Após A Gravidez?

Embora acreditemos que a diabetes gestacional - que é a que se detecta pela primeira vez durante a gravidez - desaparece após o parto, um estudo coloca em dúvida essa ideia e mostra que as mães deixam de se cuidar para atender aos seus filhos, o que pode fazer com que aumentem as chances de que permaneçam com diabetes após o parto. Aqui te contamos mais sobre esta descoberta, assim como outros dados sobre a diabetes gestacional, para que você possa se cuidar e evitar certos riscos durante e depois da sua gravidez.

Muitas vezes, aquelas que não estão grávidas dizem para suas amigas que estão esperando um bebê, que aproveitem para comer tudo o que quiserem e satisfazer seus gostos durante essa etapa na qual – supõem – o aumento de peso estaria justificado. Se a isso adicionarmos os tradicionais "desejos", encontrará uma combinação perigosa que pode complicar qualquer gravidez.

Se você está grávida, lembre-se que a ideia de "aproveitar" nos meses de gravidez para comer sem medida, está desatualizada. Atualmente se conhecem cada vez mais os riscos da obesidade durante a gravidez, tanto para você (mamãe) como para o seu bebê. Inclusive, embora você não ganhe peso excessivamente, se você se deixar levar por seus "desejos" e estes te levam a comer doce o tempo todo, também pode ser prejudicial para ambos.

Diabetes Gestacional: Pode permanecer após a Gravidez?

Existe um tipo de diabetes conhecido como gestacional, que se desenvolve em algumas mulheres durante a gravidez (independentemente do peso da mulher) e que, como a diabetes naquelas que não estão grávidas, deve ser controlada, já que pode causar complicações, não só para a mãe, mas também para o bebê. A diabetes gestacional não tratada ou não bem controlada pode causar vários problemas. Por exemplo:

  • O bebê poderia nascer muito grande e com demasiada gordura (esta condição é conhecida como macrossomia), o que também pode tornar o parto difícil e mais perigoso.
  • O parto pode se antecipar e exigir uma cesariana (ou seja, ter um parto através de cirurgia).
  • O bebê poderia ter um baixo nível de glicose no sangue (hipoglicemia) no momento do nascimento.
  • A criança poderia ter problemas respiratórios e ser obesa na infância.
  • O bebê e a mãe terão maior risco de ter diabetes ao longo de suas vidas.
  • Mamãe tem mais risco de pressão arterial elevada (hipertensão) durante a gravidez. Isto é chamado de pré-eclampsia.
  • A mãe pode voltar a ter a diabetes gestacional em sua próxima gravidez.

Por tudo isso, se você está grávida, tenha cuidado com sua dieta. Apesar de que talvez você tenha ouvido falar ou o que diziam as queridas avós: não é o momento de retaliar nem se descuidar, mas sim o contrário. Permitindo-se, mas de outra forma.

Ao contrário de outros tipos de diabetes que podem ser tratadas, mas não desaparecem uma vez que foram diagnosticadas, no caso da diabetes gestacional sempre se disse que sim desaparece quando o bebê nasce, embora aumente o risco de que a mulher desenvolva diabetes no futuro.

No entanto, um novo estudo lança dúvidas sobre este conceito e supõe que, na verdade, a diabetes retorna rapidamente após a gravidez (pode ser como diabetes de tipo 2, que é a mais comum, mas também como diabetes do tipo 1 ou dependente de insulina), mas nem é sempre detectada, já que deixa de ser controlada porque as mães estão muito ocupadas com o bebê e sua nova vida familiar.

Inclusive, o estudo mostra que um terço das grávidas não faz os testes para detectar a quantidade de açúcar no sangue durante a gravidez, em alguns casos, porque os obstetras consideram que o risco de ter diabetes gestacional é muito baixo, e em outros, porque as pacientes minimizam a importância e não tiram tempo para fazê-los.

Leia também: "Diabetes Gestacional: Dados de Importância".

O estudo também constatou que metade das mulheres grávidas que apresentaram diabetes gestacional desenvolveu diabetes tipo 2 antes de completar um ano de ter dado à luz. Mas apenas 1 de cada 5 mulheres voltou a fazer os controles necessários após o parto.

Por tudo isso, se você tem ou já teve diabetes gestacional durante a gravidez, vale a pena verificar o nível de açúcar no sangue a cada 1 ou 2 anos, para poder detectar o possível aparecimento de diabetes e para que possa ter os cuidados necessários. O diagnóstico precoce de diabetes ou pré-diabetes (quando o nível de açúcar está elevado, mas não o suficiente para diagnosticar diabetes) pode ajudar a evitar complicações, como doenças cardíacas.

Em outras palavras, é muito importante que você verifique o seu nível de açúcar no sangue, e que, se necessário, faça muitas coisas para controlar e inclusive prevenir ou retardar o aparecimento da diabetes. Um fator muito importante é o excesso de peso: perder alguns quilos e manter uma dieta saudável acompanhada de exercícios diminui suas chances de desenvolver diabetes e te permite melhorar a sua qualidade de vida. Lembre-se que agora você não só tem que se cuidar por você, agora você tem que se cuidar pelo seu bebê também.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

;
Confira Mais Sobre Esse Assuto