Diabetes Tipo 1: Entendendo Do Que Se Trata

Sempre falamos sobre diabetes em geral ou do aumento do diabetes tipo 2 entre a população mundial e, especialmente, nos Estados Unidos. Mas e sobre o diabetes tipo 1? Se você quer saber do que se trata esta condição e por que é diferente do diabetes tipo 2, não deixe de ler! Aqui você vai encontrar informações úteis a este respeito.

Embora seja menos comum, diabetes tipo 1, também afeta muitas pessoas em todo o mundo. Era conhecido anteriormente como diabetes “juvenil” ou diabetes “insulinodependente”, porque geralmente era diagnosticada em crianças e jovens, e como seu próprio nome sugere, seu tratamento requer insulina. No entanto, recentemente, a comunidade médica prefere se referir a esta condição como diabetes tipo 1, já que pode acontecer em qualquer idade.

Mais frequentemente costumamos ouvir sobre o diabetes tipo 2, já que é mais comum. De acordo com a Associação Americana de Diabetes, apenas 10% das pessoas com diabetes têm diabetes tipo 1. Mas isso não significa que você não deve ter a mesma atenção que com a diabetes tipo 2, não é verdade? Muitas pessoas no mundo sofrem e é importante que não se sintam sozinhas.

Diabetes Tipo 1: Entendendo do Que se Trata

É Possível Prevenir Diabetes Tipo 1?

Na verdade, não. E é simplesmente porque as suas causas ainda não estão claras. Pensa-se que o sistema imunológico do organismo (que se encarrega de nos proteger contra infecções causadas por bactérias e vírus) ataca erroneamente as células que produzem insulina e que estão localizadas no pâncreas (as células betas). Ou seja, trata-se de uma doença autoimune. Não se sabe exatamente por que o corpo reage dessa forma, mas é possível que seja devido a fatores genéticos ou talvez que a exposição a certos tipos de vírus desencadeiem a doença. As investigações a respeito continuam. Acredita-se também que ter um pai ou irmão com diabetes tipo 1, pode aumentar ligeiramente a predisposição para desenvolver.

O Que Acontece em seu Organismo Quando Você Tem Diabetes Tipo 1?

É simples: o pâncreas não produz insulina ou produz muito pouco. A insulina transporta a glicose ou açúcar para os tecidos e as células do corpo. Ao contrário do diabetes tipo 2, no qual a quantidade de insulina pode ser adequada, mas não funciona bem, porque existe uma resistência a ela pelas células e com menor frequência, existe uma deficiência de insulina. No diabetes tipo 1, não se produz suficiente insulina desde o início e pode ter alguns anticorpos (anticorpos das ilhotas) no sangue, que são algumas proteínas que o seu corpo forma se existe o componente imunológico que mencionamos, que indica que está atacando ou lutando contra as células que produzem insulina (células betas nas ilhotas de Langerhans).

O Que Acontece Quando Não Existe Insulina Para Transportar a Glicose Para as Células?

Uma vez que o açúcar fica no sangue, as células ficam sem nutrientes para poder ter energia e desempenhar funções vitais. Você pode imaginar? É como se o corpo ficasse sem combustível para funcionar. Além disso, este "combustível" que não é utilizado permanece no sangue e se acumula, o que não é bom. Os níveis elevados de açúcar no sangue podem causar o seguinte:

  • Desidratação: o corpo, em seu esforço para eliminar o excesso de açúcar no sangue tenta eliminar o açúcar pela urina. Mas quando se produz muita urina, além de açúcar, elimina-se muita água, o que provoca a desidratação. Por isso, se você tem muita sede e muita vontade de urinar, você deve prestar atenção.
  • Cetoacidose diabética: o corpo, na sua ânsia de ter energia, incapaz de obtê-la da glicose, começa a tentar obtê-la da gordura. Nesse processo metabólico são produzidos ácidos que se acumulam no sangue e eventualmente junto com o açúcar acumulado, causa outros danos ao organismo. Em casos graves de cetoacidose é uma emergência que requer hospitalização. Se existe náuseas e/ou vômitos, cansaço, tontura, fraqueza, respiração rápida e cheiro de acetona na respiração é preciso chamar os paramédicos ou se for um familiar, levá-lo para a emergência.
  • Perda de peso: se você não pode absorver o açúcar do sangue, não está aproveitando, está eliminando todos os nutrientes pela urina e existe diminuição do peso.
  • Danos a diferentes órgãos do corpo: os níveis elevados de glicose no sangue faz com que pouco a pouco sejam danificados os nervos do corpo (neuropatia), os rins (nefropatia) e os olhos (retinopatia), para citar alguns. As complicações do coração e outros vasos sanguíneos do corpo que causam os ataques cardíacos, acidente vascular cerebral, doença arterial periférica, aterosclerose, também são uma consequência do diabetes tipo 1 não controlado. As complicações nos vasos dos pés e pernas é o que causa amputações.

Como Se Trata Diabetes Tipo 1?

O principal tratamento para o diabetes tipo 1 é a insulina. As injeções ou a bomba são a forma para aplicá-la neste momento. Você deve consultar com seu médico para determinar qual é a melhor opção para você, já que existem vários tipos de insulina.

Como no caso do diabetes tipo 2, as pessoas com diabetes tipo 1 devem levar uma alimentação saudável, seguindo certos horários e em determinadas quantidades, dependendo do peso e da atividade que desempenham, devem fazer exercícios diariamente e controlar regularmente os níveis glicose no sangue. As visitas com o seu médico e sua equipe de saúde serão de acordo com a sua condição.

Segundo as estatísticas, o diabetes tipo 1 é mais comum em pessoas de raça branca e negra, mas os hispânicos também estão em risco de desenvolver.

A boa notícia é que agir a tempo e manter o seu diabetes sob controle é o que determina quem pode viver uma vida longa e feliz, ainda com diabetes tipo 1.

Para saber mais sobre os diferentes tipos de diabetes, recomendamos a leitura do artigo “Diabetes Tipo 1 e Tipo 2, Diferenças, O Que é, Como Evitar e Prevenir Diabetes”.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

;
Confira Mais Sobre Esse Assuto