A doença de Ollier é uma doença rara, em que se formam tumores benignos nos ossos no desenvolvimento impedindo o seu crescimento normal.

Esta doença foi primeiramente observada pelo cirurgião francês Louis Ollier (1830-1899) e, por isso, leva o seu nome.

Causas da Doença de Ollier:

A causa da doença não é conhecida e afeta tanto homens como mulheres. Não é hereditária.

Sintomas da Doença de Ollier:

Em pessoas com esta doença se formam tumores benignos chamados encondromas em células da cartilagem dos ossos longos.

Aparecem na infância e geralmente apenas em um lado do corpo. Os encondromas evitam a produção de cartilagem, a calcificação dos ossos e seu desenvolvimento.

O resultado é que os ossos em um lado do corpo são mais curtos do que no outro lado. Esta diferença de comprimento continua aumentando até que o desenvolvimento do osso está completo, geralmente na adolescência.

Os ossos também são mais fáceis de fraturar. Em alguns casos, podem se converter de tumores benignos para malignos (cancerígenos).

Leia também: “A Importância Do Cálcio Para Os Ossos“.

Diagnóstico Para Doença de Ollier:

Recomenda-se realizar exames periódicos dos ossos para poder determinar com exatidão a formação de tumores malignos e limitar o seu dano.

Doença de Ollier: O Que É, Causas, Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

Tratamento Para Doença de Ollier:

Não há cura para esta doença. A cirurgia corretiva é usada para alongar os ossos atrofiados. O método de alongamento é simples. Os ossos são fraturados e esticados. Com o tempo, a fratura se preenche com osso novo, nervos e pele.

O aparelho utilizado se parece com uma gaiola com dois círculos de metal separados por quatro parafusos. A distância dos círculos pode ser ajustada através da rotação dos parafusos.

Por meio de uma incisão pequena, a parte exterior do osso é cortada. A medula fica intacta, criando uma placa para que cresça subjacente. Os arames de aço são colocados pelo osso acima e abaixo da incisão, e são sustentados pelos dois círculos que se encontram em torno da extremidade. Depois de alguns dias, os parafusos são rodados, geralmente por um quarto de volta, quatro vezes por dia.

Este procedimento separa os círculos dos parafusos por 1 mm por dia, ou uma polegada a cada 25 dias. Quando a distância desejada é obtida, o dispositivo é deixado no lugar por um tempo.