21 de junho é o Dia Mundial da ELA ou doença de Lou Gehrig. Esta doença neurodegenerativa é pouco conhecida. O cientista Stephen Hawking é um dos pacientes afetados pela doença mais reconhecido em todo o mundo. Então, hoje nós queremos dizer o que é a esclerose lateral amiotrófica denominada cientificamente pela sigla ELA.

Características da Doença

A esclerose lateral amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa progressiva conhecida como doença de Lou Gehrig, em referência ao jogador de beisebol do New York Yankees, que morreu vítima da doença. Também na França é conhecida como Charcot, pela razão de Jean-Martin Charcot ter sido o primeiro cientista a abordar a questão da ELA.

A ELA afeta os nervos e as conexões nervosas no cérebro e na medula espinhal, que controlam os músculos. Assim, à medida que a doença progride e as células nervosas morrem, atrofiam os músculos, tornando-se fraco, e o paciente deixa de ter controle sobre seus movimentos corporais, perdendo força e alcançando paralisia total ao longo do tempo. Por esta razão é chamada como uma doença degenerativa ou uma doença neuromuscular neurodegenerativa muscular.

No entanto, você deve saber que a mente dessas pessoas ainda trabalha normalmente, e até mesmo as sensações corporais permanecem ativas.

Esclerose Lateral Amiotrófica: O Que É?

Casos e Diagnóstico de Esclerose Lateral Amiotrófica

ELA não tem causa conhecida e não é uma doença contagiosa. Em todos os casos, não mais do que 10% é devido a fatores hereditários, o que pode determinar que o estudo da história da família pode ser a chave, como na doença de Alzheimer.

Geralmente se manifesta em adultos, com idades entre 40 e 70 anos, e é rara em pessoas fora dessa faixa etária. Nos Estados Unidos, cerca de 6000 pessoas são diagnosticadas com ELA cada ano, ao passo que na Espanha, estima-se que existam cerca de 900 novos casos de ELA por ano.

Leia também: “Remédios Para Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)“.

Sintomas de ELA

Entre os sintomas de ELA estão:

  • Fraqueza muscular.
  • Quedas frequentes.
  • Dificuldades para segurar objetos.
  • Dificuldades de fala.
  • Cãibras musculares frequentes.
  • Dificuldade de mastigação e deglutição.
  • Em estágios avançados, dificuldade para respirar.

Além dos sintomas, o médico irá mostrar testes específicos para confirmar o diagnóstico, uma vez diagnosticado a ELA, supõe-se que a esperança média de vida é de 2 a 5 anos, embora entre 10% e 20% dos pacientes vivam mais de 10 anos após o diagnóstico.

Existe Uma Cura Para a Esclerose Lateral Amiotrófica?

Ainda não há cura para a esclerose lateral amiotrófica, e não podemos falar sobre os métodos de prevenção. No entanto, existem medicamentos que ajudam com as cãibras musculares e controle da dor e dificuldade para engolir e respirar.

Em estágios avançados, é necessário que o paciente seja colocado em cadeira de rodas e pode necessitar de respiração assistida.

É possível que o paciente com ELA se comunique e mantenha o gosto por algumas atividades e hobbies antes da sua doença. Também é importante saber que existem várias instituições que oferecem o seu apoio e realizam várias pesquisas para fazer avançar a luta contra a esclerose lateral amiotrófica e outras doenças neurodegenerativas, como Alzheimer.