Você já se sentiu identificado em alguma ocasião com Wendy, o personagem de conto de fadas Peter Pan? Nesse caso, não seria insignificante pensar que talvez sofra do que em psicologia se conhece como Síndrome de Wendy, vamos te explicar o que é.

James Matthew Barrie estava certo ao retratar seu emblemático personagem de Peter Pan como uma criança que se recusava a crescer, enquanto vivia em seu mundo de sonho, batizado com o nome de Neverland.

Este universo alternativo proposto por este conto de fadas é o que muitos jovens hoje em dia, especialmente os meninos, desejariam ir para não amadurecer e deixar de lado as suas responsabilidades.

Desde que a revista Time lançou o título anos atrás, que dizia: “Crescer, não, obrigado”, a chamada de síndrome de Peter Pan converteu-se em um termo usado no campo psicológico para se referir a todas aquelas pessoas que se recusam a aceitar as responsabilidades da vida adulta.

O Complexo de Wendy:

Possivelmente muitos de vocês já ouviram falar dessa síndrome, mas e do complexo de Wendy? Poderia se dizer que é o contraste do anterior.

Basta nos fixarmos na fiel amiga e companheira do jovem que não queria crescer para perceber o que é esta síndrome. A jovem Wendy assume todos os riscos e responsabilidades que Peter Pan não é capaz de colocar em prática.

O Que É a Síndrome de Wendy?

Embora ele sempre permaneça de fora, Wendy é quem se encarrega de proteger as crianças, dar-lhes seu carinho e é a que, com os seus esforços, faz com que Peter Pan termine triunfando.

Com tal caracterização, não é insignificante pensar que quem sofre esta síndrome de Wendy sente a extrema necessidade de atender e satisfazer as necessidades dos outros, seja família, parceiro ou amigos, tudo para se sentir mais amada.

Os psicólogos estimam que esse comportamento seja devido ao medo de ser rejeitado pelos outros e do abandono.

Como são as pessoas com síndrome de Wendy:

Entre os sintomas que caracterizam este complexo destacamos os seguintes:

  • Para as que sofrem com a síndrome de Wendy, o amor se apresenta como um verdadeiro sacrifício. Esse tipo de pessoa se resigna ao desgaste ou deterioração sobre o seu próprio bem-estar que possa envolver o cuidado de uma pessoa.
  • Essas pessoas são tão perfeccionistas que o simples fato de errar em algo relacionado com o cuidado ou a satisfação dos outros as levará a se sentirem culpadas.
  • Geralmente, insiste em todos os momentos em fazer as responsabilidades que pertencem à outra pessoa, pelo mero fato de se sentir querida ou cuidada pelo outro.
  • Dependerá em todo momento da aceitação dos outros, de forma que se em algum dos círculos por se movimenta não é aceita, se sentirá mal consigo mesma.
  • Marginando sua própria felicidade, se afastará em todos os momentos dos conflitos e tentará fazer feliz outra pessoa.
  • Se desculpam por tudo aquilo que não fizeram ou que não colocaram em prática de forma correta.

Para o tratamento da síndrome de Wendy é essencial que a pessoa reconheça o problema e modifique o seu comportamento para empreender relacionamentos mais saudáveis com terceiros.

Através de terapias cognitivas tenta-se ajudar a pessoa a perceber que com o seu medo da rejeição não alcançará meta alguma, enquanto se ensina a desenvolver habilidades interpessoais como aprender a dizer “não” ou delegar tarefas.

Você conhece alguém que sofre com a síndrome de Wendy?