Psoríase abrange a maior parte ou todo o corpo e muitas vezes se apresenta como uma situação de emergência requerendo hospitalização, uma vez que, o corpo perde uma grande quantidade de líquidos e fica mais suscetível a infecções secundárias graves, comprometendo os órgãos internos e até mesmo evoluindo para choque séptico e, por vezes, a morte.

O tratamento da psoríase é focado principalmente em controlar os sintomas e ajudar a prevenir infecções secundárias da pele. Atualmente, não existe qualquer tratamento para curar a psoríase, mas podem ser usadas diferentes técnicas terapêuticas, dependendo da extensão e gravidade da psoríase.

Leia também: “Remédios Caseiros e Naturais Para Curar a Psoríase“.

Para tratar a psoríase são utilizados analgésicos, sedativos, ou antibióticos, tal como exigido por cada um dos sintomas, pode-se dizer que, a maioria dos casos são leves e não requerem hospitalização, são utilizados medicamentos tópicos, tais como:

  • Os cremes de corticosteroides ou pomadas, são os mais utilizados.
  • Os cremes utilizados para remover a descamação.
  • Cremes e pomadas contendo substâncias relacionadas com a vitamina D ou retinoides tópicos, que são usados principalmente na placa de psoríase.
    Psoríase – O Tratamento da Psoríase
  • Shampoos contra caspa.
  • Shampoos ou pomadas que contêm alcatrão de carvão.
  • Os antibióticos tópicos onde há infecção estreptocócica.

Outros tratamentos tem por objetivo proporcionar exposições curtas e controlados à luz ultravioleta, no qual, sensibiliza em primeiro lugar a pele à luz ultravioleta através da aplicação de uma pomada à base de alcatrão de carvão ou por via oral, a administração de medicamentos especiais.

Para as pessoas que sofrem de uma forma mais grave da doença, são indicados os medicamentos biológicos, que são proteínas que são injetadas ao invés de serem tomadas oralmente, as quais, interferem na resposta inflamatória do corpo, mas estas drogas são muito caras e podem causar efeitos colaterais secundários, portanto não são utilizadas como terapia de primeira linha, mas é geralmente usado quando nenhum outro tratamento funciona.