Para a maioria dos pacientes com câncer, dormir bem é todo um luxo. De fato, mais da metade sofre de algum tipo de distúrbio do sono: insônia, apneia ou simplesmente a interrupção do ciclo normal do sono-vigília. Razões, desde físicas a psicológicas, não faltam. Mas como os seus corpos precisam descansar agora mais do que nunca para combater a doença e resistir aos tratamentos, é necessário encontrar soluções e ajuda... E quanto mais cedo melhor.

A privação de sono e o câncer de andam de mãos dadas. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos, entre um terço e a metade das pessoas com câncer têm distúrbios do sono. Os dados fornecidos pelo Centro de Câncer MD Anderson da Universidade do Texas é maior ainda: de 30 a 88% dos pacientes com câncer são afetados por algum tipo de distúrbio do sono. A apneia é mais comum neles do que no resto da população, e são duas vezes mais propensos a sofrer de insônia do que as pessoas sem câncer.

Se um sono deficiente afeta a qualidade de vida de qualquer pessoa, causa muito mais estragos em um paciente com câncer, que precisa dele para fortalecer a sua função imunológica que já está comprometida, fortalecer o organismo afetado pela fadiga constante, melhorar o seu estado de ânimo e até para tolerar melhor a dor. Além disso, a dificuldade para dormir pode se prolongar muito mais uma vez finalizado o tratamento e tornar-se uma condição crônica. Algumas sobreviventes de câncer de mama, por exemplo, sofrem de distúrbios do sono, até cerca de 10 anos depois de ter finalizado as sessões de radioterapia ou de quimioterapia.

Leia também: "Saiba Mais Sobre os Distúrbios do Sono e o Ronco".

Existem muitas razões pelas quais as pessoas com câncer têm dificuldade para dormir. Entre elas:

  • Ansiedade, estresse, preocupação ou depressão diante da doença e suas consequências a curto ou longo prazo.
  • Alterações físicas causadas pelo câncer.
  • Dor ou desconforto devido a uma cirurgia.
  • Hospitalização.
  • Os efeitos colaterais dos medicamentos prescritos para combater alguns sintomas, tais como medicamentos para a dor, náuseas ou ansiedade.
  • Tratamentos como a quimioterapia.

Se o paciente tem um tumor, este também pode provocar problemas que dificultam o sono, tais como a pressão, a dor, problemas gastrointestinais (náuseas, constipação ou diarreia), a irritação da bexiga, incontinência, dificuldade em respirar, dor e cansaço, entre outros.

Embora as dificuldades para dormir sejam muito reais, muitos pacientes não as discutem com os seus médicos, a menos que estes lhes perguntem especificamente se estão dormindo o suficiente. Muitos oncologistas incluem questões relacionadas com o sono em questionários de avaliação do paciente durante cada visita. Dependendo da gravidade dos sintomas, pode recomendar algum medicamento que os ajude a dormir melhor, mas apenas por um curto período de tempo, ou medicamentos que os ajudem a controlar os sintomas que dificultam o sono, tais como dor ou ansiedade.

Se você é um paciente com câncer e precisa dormir mais e melhor, você pode realizar algumas mudanças em seus hábitos ou no seu ambiente. Abaixo você vai encontrar alguns que são recomendados tanto pelo Instituto Nacional do Câncer como a Sociedade Americana do Câncer:

1. Deite-se somente quando estiver com sono. Se você não consegue dormir, é melhor levantar-se e dedicar-se a outra atividade durante um tempo. Volte para a cama somente quando tiver sono.

2. Use a cama e o quarto apenas para dormir, não para outras atividades como assistir televisão ou ler.

3. Estabeleça uma rotina. Tente ir para a cama e levantar-se na mesma hora para poder se acostumar com um horário. E se o corpo te pede para dormir mais? Preste atenção. Convém prestar atenção e respeitar os sinais enviados, mas uma vez que você acordar, tente se manter tão ativo quanto puder.

4. Faça exercício, por pouco que seja. Uma caminhada, ainda que curta, ajuda a liberar a tensão, limpar sua mente e até combater a prisão de ventre. Sim, faça exercícios de 2-3 horas antes do horário que você costuma ir dormir.

5. Se você precisa tirar um cochilo (ou mais) durante o dia, tente não se prolongar por mais de uma hora para que não interfira com o seu sono noturno.

Leia também: "Como Conciliar Melhor O Sono".

6. Evite bebidas estimulantes como chá ou café, antes de ir dormir. Em vez disso, beba algo quente, como um copo de leite ou uma infusão (como chá de camomila) para te ajudar a relaxar e dormir melhor.

7. Tente que alguém faça uma massagem relaxante nas costas ou nos pés antes de ir dormir.

8. Não beba líquidos antes de dormir para evitar visitas ao banheiro durante a noite que interrompam o seu sono.

9. Tome os medicamentos prescritos para dor ou para dormir no mesmo horário todas as noites.

10. Faça com que o quarto seja o mais confortável possível. O ideal é que não tenha barulho ou luzes que o incomodem ou distraiam e tenha uma temperatura agradável. Mantenha a roupa de cama limpa, fresca e sem rugas. Use um pijama frouxo e macio. Tenha à mão um cobertor ou colcha para dobrar se for necessário, assim como travesseiros extras para te acomodar se você precisar.

Se você continuar experimentando insônia prolongada e se levanta sempre muito cansado(a), consulte o seu médico oncologista (a). Talvez ele te encaminhe para um especialista para encontrar a causa da insônia. Também poderia sugerir terapia de relaxamento ou outras alterações no seu comportamento para te ajudar a dormir melhor. Leve-o muito a sério.

Dormir é essencial para que você possa combater o câncer, com toda a sua energia física e emocional. Se você não conseguir por si mesmo, procure ajuda.