O cérebro é o comandante de todas as nossas funções, incluindo o que nos mantêm vivos. O seu cuidado é muito importante.

Existem muitas doenças manifestantes que podem ocorrer no cérebro e danificá-lo severamente. Entre elas está o acidente vascular-cerebral.

O acidente vascular cerebral (AVC), também chamado de derrame cerebral, ocorre quando o fluxo de sangue pára em algum lugar do cérebro por um tempo causando danos significativos e permanentes, que variam de acordo com o tempo em que houve queda de oxigênio nas células nervosas do cérebro.

Causas: Podem ocorrer dois tipos de AVC.

Acidente vascular cerebral isquêmico: Ocorre quando o vaso sanguíneo que irriga o cérebro é bloqueado por uma formação de coágulos no sangue.

Este coágulo pode ser devido à uma obstrução das artérias, devido a presença de gordura, colesterol que vão acumulando nas paredes das artérias e, eventualmente, obstruindo o fluxo de sangue.

Acidente vascular cerebral hemorrágico: ocorre quando ocorre uma ruptura de um vaso causada por enfraquecimento, isso faz com que o sangue vase e provoque a hemorragia. Existem algumas alterações que enfraquecem os vasos sanguíneos, o que faz com que o AVC seja mais provável.

Derrame | Precauções Contra Um Acidente Vascular Cerebral

Outros fatores que podem ocasionar um derrame cerebral são:

  • Hipertensão arterial.
  • Diabetes.
  • História familiar da doença.
  • Colesterol elevado.
  • Aumento da idade.

Um estilo de vida inadequado e pouco saudável é um fator importante para a ocorrência de um acidente vascular cerebral. Estes hábitos são, por exemplo:

  • Ser obeso ou com sobrepeso.
  • Ingerir álcool.
  • Consumir gordura e sal em quantidades.
  • Fumo e alguns medicamentos.

O que acontece quando alguém sofre um AVC? Os sintomas são gerados de repente e sem aviso:

Dor de cabeça súbita sem razão aparente. Pior quando você mudar de posição ou fazer movimentos da cabeça.

Outros sintomas que surgiram logo após a lesão, podem ser:

  • Alteração de lucidez.
  • Perda de memória.
  • Confusão e problemas com as funções motoras.
  • Coma, caso a lesão tenha sido intensa.